UOL Notícias Notícias
 
24/05/2010 - 16h43 / Atualizada 24/05/2010 - 16h55

Especialista desvincula Copa do Mundo a aumento da prostituição

CIDADE DO CABO, 24 Mai 2010 (AFP) -A Copa da Alemanha de 2006 não desencadeou um grande aumento do tráfico de pessoas nem da prostituição e, segundo declarou uma especialista no tema, a Copa da África do Sul não deverá fazer esses fenômenos crescerem no país.

"A Organização Internacional para a Migração (OIM) chegou a concluir que não há nenhum dado confiável que permita provar o vínculo entre o tráfico de pessoas e os grandes eventos esportivos. Devemos ter isso em mente", afirmou Chandre Gould, do Instituto de Estudos de Segurança.

Gould fez tais afirmações durante um seminário sobre prostituição e tráfico de pessoas ocorrido na Cidade do Cabo. Segundo ela, "não há nenhuma razão para supor que a África do Sul não respeitará essa regra".

Segundo ela, a OMI provou que não houve mais tráfico de pessoas durante a Copa de 2006 e que a cifra de 40.000 prostitutas que supostamente chegarão à África do Sul para a Copa (que ocorre de 11 de junho a 11 de julho) não tem fundamento.

Com a aproximação do evento, as autoridades sul-africanas reforçaram seu arsenal jurídico e policial para lutar contra o risco de a prostituição e o tráfico de pessoas aumentarem.

Pela primeira vez, será promovida uma investigação sobre a prostituição nas cidades-sede da Copa, para avaliar se o evento desencadeia um aumento da oferta e da demanda neste setor.

"A Copa do Mundo da África do Sul é uma oportunidade importante" para medir com rigor o vínculo entre os grandes eventos esportivos e o tráfico de pessoas, declarou o diretor desse projeto de investigação, Marlise Richter, da Universidade de Witwatersrand, em Joanesburgo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,40
    3,181
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    2,01
    70.011,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host