UOL Notícias Notícias
 
25/05/2010 - 14h07 / Atualizada 25/05/2010 - 14h22

Especialistas da ONU concedem apoio ao juiz Baltazar Garzon

Genebra, Suíça, 25 Mai 2010 (AFP) -O grupo de juristas da ONU, que trabalha sobre desaparecimentos de pessoas, expressou nesta terça-feira, em comunicado, "preocupação" com a suspensão do magistrado espanhol Baltasar Garzon de suas funções; o juiz irá a julgamento por ter investigado em seu país crimes anistiados da Guerra Civil (1936-39) e do franquismo (1939-75).

Para o grupo de trabalho, "uma lei de anistia vai contra as disposições da Declaração (da ONU de proteção das pessoas contra desaparecimentos forçados) através da qual os Estados se comprometem a investigar, a perseguir e a punir os responáveis, mesmo quando a legislação tenha sido aprovada por referendo".

O juiz Garzón é acusado por organizações de ultradireita de ter querido investigar as vítimas e os crimes do franquismo, apesar da lei de anistia de 1977, votada dois anos depois da morte do ditador Francisco Franco.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h00

    -0,86
    3,255
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h07

    0,95
    63.827,98
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host