UOL Notícias Notícias
 
26/05/2010 - 13h44 / Atualizada 26/05/2010 - 13h51

Bangladesh, Indonésia e Irã são mais vulneráveis a desastres naturais

PARIS, 27 Mai 2010 (AFP) -Bangladesh, Indonésia e Irã são os países mais vulneráveis a desastres naturais, de acordo com um estudo divulgado nesta quinta-feira.

Os gigantes asiáticos, China e Índia, estão entre os 15 países que, em uma lista de 229, são considerados de risco "extremo".

O Índice de Risco a Desastres Naturais (NDRI, da sigla em inglês) é feito por uma consultoria de risco britânica, a Maplecroft, com base nos desastres que ocorreram de 1980 a 2010.

O NDRI tem como referência uma cesta de indicadores, que inclui o número e a frequência desses eventos, o total de mortes que causaram e a proporcionalidade dessas mortes em relação à população do país.

Os desastres incluem terremotos, erupções vulcânicas, tsunamis, tempestades, inundações, secas, deslizamentos de terra, ondas de calor e epidemias.

"A pobreza é um fator importante em países onde tanto a frequência como o impacto dos desastres naturais são severos", afirma a analista ambiental da Maplecroft, Anna Moss.

"Infraestrutura deficiente, alta densidade populacional em áreas de risco como planícies passíveis de inundação, margens de rios e declives, comumente resultam em situações de morte."

De acordo com o índice, Bangladesh registrou mais de 191.000 mortes como resultado de desastres naturais nos últimos 30 anos, e a Indonésia aproxima-se desse número, sendo que a maioria foi causada pelo tsunami de dezembro de 2004.

No Irã, a maior vulnerabilidade são os terremotos, que já mataram 74.000 pessoas nesse período.

A Índia, em 11º lugar no ranking, perdeu 141.000 vidas - incluindo 50.000 em terremotos, 40.000 em inundações, 15.000 em epidemias e 23.000 em tempestades - enquanto a China, em 12º lugar, perdeu 148.000 vidas, sendo 87.000 no terremoto de 2008 em Sichuan.

Três países do G8 são considerados de "alto risco", a categoria seguinte ao risco "extremo".

Eles são França (17º lugar no ranking geral) e Itália (18º), que foram atingidos por ondas de calor em 2003 e 2006, e os Estados Unidos (37º), afetado pelo furacão Katrina em 2005.

Os países em menor risco são Andorra, Bahrein, Gibraltar, Liechtenstein, Malta, Mônaco, Qatar, San Marino e Emirados Árabes Unidos.

Moss aponta os impactos das mudanças climáticas nas chuvas. Alterações nos padrões do clima devem causar episódios mais frequentes e mais graves de secas e inundações.

"Nossa pesquisa enfatiza a necessidade de, mesmo os países menos arriscados, focarem na redução do risco de desastre natural", afirma.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host