UOL Notícias Notícias
 
28/05/2010 - 18h54 / Atualizada 28/05/2010 - 19h20

Nove candidatos à presidência da Colômbia, Mockus e Santos são favoritos

Bogotá, Colômbia, 28 Mai 2010 (AFP) -Nove candidatos à presidência da Colômbia vão se apresentar no primeiro turno das eleições deste domingo, 30 de maio, nas quais chegam como favoritos o governista Juan Manuel Santos e o independente Antanas Mockus, segundo as pesquisas.

Santos, de 58 anos, do Partido Social de Unidade Nacional (Partido de la U), foi ministro de Defesa do presidente Alvaro Uribe, onde realizou duros golpes à guerrilha das Farc e bombardeou um de seus acampamentos no Equador.

Economista graduado na Universidade de Harvard e membro de uma família de classe alta proprietária do jornal El Tiempo de Bogotá, foi ministro de Fazenda e de Comércio Exterior do conservador Andrés Pastrana e do liberal César Gaviria, respectivamente.

Santos promete continuar com a mão de ferro de Uribe contra as Farc, incentivar os investimentos estrangeiros e desenvolver uma política de "prosperidade democrática".

Mockus, de 58 anos, candidado pelo Partido Verde, saltou à vida pública quando, como reitor da Universidade Nacional de Bogotá, baixou as calças ante um auditório de estudantes que o vaiavam.

Foi prefeito de Bogotá duas vezes (1995-1997 e 2001-2003), gestão que lhe trouxe grande reconhecimento e popularidade. Foi candidato à presidência em 1998 e 2006.

De ascendência lituana, este matemático e filósofo que utiliza uma linguagem de símbolos para explicar suas propostas, promete "legalidade, transparência e educação".

Noemí Sanín, 60 anos, é a candidata do Partido Conservador, parte da coalizão de governo de Uribe. Esta é sua terceira candidatura presidencial.

Esta advogada iniciou sua vida pública como ministra de Comunicações do governo do conservador Belisario Betancur. Foi chanceler no governo do liberal César Gaviria e embaixadora na Venezuela, Espanha e Reino Unido.

Promete continuar com a política de segurança de Uribe, recompor as relações com a Venezuela e realizar uma estratégia de ação social para melhorar as condições de vida dos mais pobres, além de lutar contra a corrupção.

Rafael Pardo, economista de 56 anos, é candidato do opositor Partido Liberal. Foi ministro da Defesa do governo de Gaviria e senador. Propõe uma Colômbia "mais justa socialmente" e quer manter a luta contra as Farc.

O ex-guerrilheiro do M-19 Gustavo Petro, um economista de 50 anos, é o candidato do esquerdista e opositor Partido Polo Democrático Alternativo. Propõe um governo de cunho social sem afetar a propriedade privada.

O ex-senador Germán Vargas, de 48 anos, do Partido Mudança Radical (direita), promete melhorar a gestão de Uribe em segurança cidadã e enfatizar o social.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host