UOL Notícias Notícias
 
29/05/2010 - 20h34 / Atualizada 29/05/2010 - 20h49

Ministro de Tesouro britânico renuncia após denúncia sobre gastos pessoais

LONDRES, 29 Mai 2010 (AFP) -O secretário de Estado do Tesouro no governo de coalizão britânico, o liberal democrata David Laws, anunciou neste sábado a sua renúncia após revelações divulgadas pela imprensa sobre seus gastos pessoais.

"Não vejo como poderia desempenhar este meu trabalho crucial sobre o orçamento e os gastos, enquanto ao mesmo tempo tenho que enfrentar as implicações particulares e públicas de revelações recentes", explicou Laws.

O jornal Daily Telegraph revelou neste sábado que Laws gastou de maneira indevida mais de 40.000 libras (47.100 euros, 57.800 dólares) para pagar dívidas de seu namorado.

O secretário de Estado, que tinha cargo de ministro, pediu desculpas na sexta-feira à noite, depois da revelação da notícia. Reconheceu as acusações, prometeu reembolsar o dinheiro recebido e se comprometeu a apresentar seu caso ante a Comissão de Ética do Parlamento.

Laws, um ex-banqueiro agora milionário, foi reembolsado em sua qualidade de deputado por ter alugado quartos em casas que pertenciam a seu namorado, violando a lei que desde 2006 proíbe os parlamentares de "alugar um alojamento para um parceiro".

Ele admitiu ter reclamado durante oito anos, entre 2001 e 2009, o reembolso de gastos de até 950 libras por mês pelo aluguel do quarto de duas propriedades de seu companheiro, James Lundie.

Laws alegou que havia alugado esses quartos para assegurar de que sua sexualidade e sua relação com Lundie permanecessem privadas, e disse que na época não pensava em violar a lei porque Lundie e ele não viviam como um casal.

Estas revelações são embaraçosas para o novo primeiro-ministro, o conservador David Cameron, que prometeu sanear a política, após o escândalo do ano passado dos gastos abusivos dos parlamentares.

"Iniciei uma relação com James Lundie em 2001. Nossa relação foi escondida de nossas duas famílias e de nossos amigos durante todo esse tempo", explicou em um comunicado Laws, um dos cinco ministros liberais-democratas do governo.

"Em momento algum, senti como se estivesse violando regras que desde 2009 definiam o companheiro como 'o membro de um casal que, embora não seja casado ou não tenha uma união civil, viva junto e se considere como cônjuges'", declarou.

"Mesmo que vivêssemos juntos, não nos considerávamos cônjuges. Por exemplo, não compartilhávamos nossas contas bancárias e tínhamos vidas sociais separadas", afirmou.

O escândalo provocado pela revelação dos gastos abusivos dos parlamentares sacudiu a Câmara dos Comuns e a Câmara dos Lordes em 2009.

Uma auditoria independente revelou que mais da metade dos deputados britânicos da legislatura anterior --390 de 646-- haviam cometido irregularidades em seus gastos e deveriam reembolsar mais de um milhão de euros no total.

Alguns políticos não hesitaram em pedir o reembolso de caixas de fósforos, de comida para cachorro, de televisores de tela plana... Vários receberam por empréstimos imobiliários inexistentes ou por residências que não ocupavam.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host