UOL Notícias Notícias
 
01/06/2010 - 19h24 / Atualizada 01/06/2010 - 20h08

Polícia brasileira mata a níveis alarmentes, afirma relator especial da ONU

GENEBRA, 1 Jun 2010 (AFP) -A polícia brasileira ainda mata a níveis alarmantes e as autoridades não conseguiram oferecer uma resposta adequada apesar de melhorias pontuais, indicou o relator especial da ONU para Execuções Extrajudiciais, Philip Alston, em um documento divulgado nesta terça-feira.

"A Polícia continua cometendo execuções extrajudiciais em níveis alarmantes. E geralmente permanecem impunes", ressaltou Alston em um relatório que analisa as ações oficiais nos últimos dois anos no país, desde que o próprio relator realizou uma visita a várias cidades brasileiras.

"Quando visitei o país há dois anos vi que a polícia executava suspeitos e cidadãos inocentes em operações mal planejadas e contraproducentes nas favelas", lembrou o relator especial da ONU, acrescentando que "a situação não mudou dramaticamente".

De acordo com Alston, "Rio de Janeiro, São Paulo e Pernambuco investigaram milícias e esquadrões da morte, e o fato de vários agentes da polícia terem sido presos é muito positivo".

O especialista destacou os esforços das autoridades federais e locais para melhorar a segurança para a Copa do Mundo de 2014 e para os Jogos Olímpicos de 2016, mas alertou que "será necessário um esforço muito maior para garantir a segurança que se espera em um prazo de quatro anos".

Em particular, Alston criticou os altos níveis que ainda são registrados em mortes atribuídas a "resistência armada".

"Houve pelo menos 11.000 casos de morte devido à chamada resistência armada entre 2003 e 2009. As evidências mostram claramente que muitos desses casos foram na realidade execuções. Mas as autoridades classificam os casos como 'resistência armada' e quase nunca são investigados seriamente", indicou.

O relatório de 22 páginas reconhece a cooperação brasileira com as tarefas de verificação, mas destaca que "resta muito a ser feito se o governo pretende alcançar seu objetivo de reduzir as execuções extrajudiciais pela polícia".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host