UOL Notícias Notícias
 
02/06/2010 - 16h06 / Atualizada 02/06/2010 - 16h37

Frota de ajuda a Gaza era "operação terrorista", afirma primeiro-ministro de Israel

Em Jerusalém

A frota de ajuda humanitária que seguia para Gaza, atacada pela marinha israelense na segunda-feira, fazia parte de "uma operação terrorista", pelo que "Israel está sendo vitima de um ataque de hipocrisia internacional", disse nesta quarta-feira (2) o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, em um discurso à nação, transmitido pela rede de televisão.

"Não era um cruzeiro de amor, era um cruzeiro de ódio. Não era uma operação pacífica, era uma operação terrorista", declarou Netanyahu, ao justificar o sangrento ataque à flotilha humanitária, no qual morreram nove passageiros.

Netanyahu também afirmou que o bloqueio a Gaza vai continuar.

O bloqueio marítimo a Gaza é necessário para evitar que "se torne um porto iraniano" e "uma ameaça para o Mediterrâneo e a Europa", disse.

"Nosso dever é inspecionar todos os barcos que chegam. Se não o fizermos, Gaza se tornará um porto iraniano, o que seria uma ameaça real para o Mediterrâneo e a Europa", afirmou Netanyahu.

"O estado de Israel continuará exercendo seu direito a autodefesa. A segurança está acima de tudo", acrescentou o primeiro-ministro israelense.

Hamas, o movimento islâmico radical que controla Gaza, "continua a se armar e o Irã, transferindo armas ao Hamas, em particular foguetes e mísseis", disse Netanyahu.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host