UOL Notícias Notícias
 
12/06/2010 - 10h10 / Atualizada 12/06/2010 - 10h20

Quirguistão pede ajuda militar à Rússia ante "violência fora de controle"

BISQUEQUE, Quirguistão, 12 Jun 2010 (AFP) -A presidente interina do Quirguistão, Rosa Otunbayeva, pediu neste sábado à Rússia o envio de forças militares para ajudar o país a enfrentar episódio de violência étnica "fora de controle" no sul, que já causou pelo menos 62 mortos.

"Escrevi carta pedindo ao presidente (russo) Dimitri Medvedev o envio de forças à República do Quirguistão", disse Otunbayeva, em mensagem transmitida pela televisão ao país.

"Desde ontem, a situação está fora de controle", afirmou.

A violência étnica prosseguia neste sábado no sul do Quirguistão, apesar do estado de emergência e do toque de recolher decretados pelo governo provisório quirguiz na cidade de Osh (sul, feudo do presidente deposto Kurmanbek Bakiyev) e nos distritos vizinhos.

Segundo novos números do ministério da Saúde, os confrontos deixaram 62 mortos e mais de 800 feridos.

"Prosseguiam os tiroteios, ouvidos de todas as partes, vários edifícios foram tomados pelas chamas, as pessoas estão assustadas", declarou à televisão nacional um funcionário do governo interino, Azimbek Beknazarov, que viajou à região, qualificando a situação de "muito difícil".

Os confrontos explodiram na noite de quinta-feira entre grupos de jovens uzbeques e quirquizes.

Desde a independência do Quirguistão em 1991, após o fim da União Soviética, as tensões entre minorias étnicas marcaram a vida deste país vizinho do Uzbequistão, somando-se à dificuldades econômicas persistentes.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,12
    3,283
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,05
    63.226,79
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host