UOL Notícias Notícias
 
29/06/2010 - 16h25 / Atualizada 29/06/2010 - 16h25

Candidata à Suprema Corte dos EUA condena tabu homossexual no Exército

WASHINGTON, 29 Jun 2010 (AFP) -A candidata do presidente americano, Barack Obama, à Suprema Corte, Elena Kagan, disse nesta terça-feira que é contra a lei que obriga os militares homossexuais a omitirem sua opção sexual.

Fruto de um compromisso, em 1993, entre o ex-presidente Bill Clinton, o Congresso e o Exército, a chamada lei 'Não pergunte, não conte' ('Don't ask, don't tell') impõe aos militares que forem homossexuais não revelarem o fato, sob pena de expulsão do Exército.

"Acho que a política 'Don't ask, don't tell' é injusta e insensata. Pensava assim na ocasião (em 1993) e penso assim agora", disse Kagan ao senador republicano Jeff Sessions, no segundo dia da audiência na comissão de justiça do Senado, onde está sendo sabatinada.

Kagan está à espera da confirmação de sua nomeação para o cargo vitalício na Corte Suprema, onde deverá suceder ao nonagenário John Paul Stevens, que se aposentará após 35 anos de serviços prestados à mais alta instância jurídica do país.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host