UOL Notícias Notícias
 
29/06/2010 - 13h38 / Atualizada 29/06/2010 - 13h49

EUA, Rússia e França propõem reunião de especialistas com o Irã

JERUSALÉM, 29 Jun 2010 (AFP) -Os Estados Unidos, Rússia e França propuseram realizar uma reunião de especialistas do setor nuclear com representantes do Irã, com apoio da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), indicou nesta terça-feira o ministro das Relações Exteriores russo Serguei Lavrov.

"Como resposta à iniciativa turco-brasileira, Rússia, França e Estados Unidos propuseram ao diretor-geral da AIEA que organize uma reunião de especialistas técnicos dos três países com especialistas iranianos para solucionar o tema do fornecimento de combustível para o reator de pesquisa nuclear iraniano", declarou Lavrov.

"Espero que o Irã responda de modo construtivo porque isso permitirá assentar as bases de uma solução para uma situação que é fonte de preocupação", acrescentou Lavrov em Jerusalém, depois de se reunir com seu colega israelense Avigdor Lieberman.

Isso será possível desde que o Irã deixe de enriquecer o urânio da 20%, estimou.

Por sua parte, a Turquia pediu nesta terça-feira ao Irã e às grandes potências que possibilitem a aplicação de um acordo de intercâmbio de combustível, que a Turquia e o Brasil assinaram, e iniciar conversações sobre o programa nuclear de Teerã.

"Se as partes não se sentarem à mesa de negociações, a situação vai piorar", afirmou o porta-voz do ministério das Relações Exteriores turco, Burak ?zügergin, em coletiva.

"O presidente (iraniano Mahmud) Ahmadinejad falou do mês de agosto. Nós preferíamos que fosse antes", enfatizou.

Mais cedo, o ministro iraniano das Relações Exteriores, Manucher Mottaki, afirmou que congelamento da negociações nuclear com as grandes potências até o final de agosto não afeta uma eventual troca de combustível.

"A data do fim do Mordad (mês iraniano relativo a 22 de agosto) só se refere às negociações com o grupo 5+1" (os cinco membros permanentes do Conselho de Segurança mais a Alemanha), indicou Mottaki em coletiva de imprensa.

"As negociações sobre a troca de combustível só se referem a essa troca, enquanto que as negociações com o 5+1 se referem a pontos comuns", que o Irã e as grandes potências querem discutir em relação ao tema nuclear, acrescentou Mottaki. "São coisas diferentes", insistiu.

Mottaki precisou que está preparando um encontro com seus colegas turco e brasileiro para abordar a oferta de troca de combustível nuclear com as grandes potências.

O Irã não retomará antes de agosto as negociações com as grandes potências sobre seu programa nuclear com o objetivo de dar uma lição aos ocidentais como se deve falar com as outras nações, afirmou na segunda-feira o presidente Mahmud Ahmadinejad, que também pediu a presença do Brasil e da Turquia nessas conversações.

"Nós atrasaremos as negociações em razão da má conduta e da adoção da nova resolução (do Conselho de Segurança da ONU sancionado o Irã)", informou Ahmadinejad em resposta a uma questão feita durante uma coletiva de imprensa.

"Não haverá negociação antes do fim do mês (iraniano) de Mordad (equivalente ao dia 22 de agosto), no meio do Ramadã. É a multa que eles devem pagar para aprender a ter educação na hora de falar com as outras nações", acrescentou o presidente iraniano em uma alusão às sanções votadas no dia 9 de junho pelo Conselho de Segurança da ONU contra o Irã, quando foi acusado de falta de transparência e cooperação em seu polêmico programa nuclear.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host