UOL Notícias Notícias
 
29/06/2010 - 14h03 / Atualizada 29/06/2010 - 14h08

Principais casos de espionagem entre Estados Unidos e Rússia

MOSCOU, 29 Jun 2010 (AFP) -A detenção de dez pessoas suspeitas de espionagem com ligação ao serviço de inteligência russo, na segunda-feira, nos Estados Unidos, soma-se a uma lista de casos que passaram nos tribunais envolvendo os dois países desde o fim do regime comunista em 1991:

1994 - Estados Unidos:

Aldrich Ames, ex-analista que trabalhou durante 31 anos para a Agência Central de Inteligência americana (CIA), é condenado a prisão perpétua pela venda de informações a Moscou por 2,5 milhões de dólares. Por sua traição, teriam morrido 12 agentes duplos que trabalhavam para os Estados Unidos .

1996-1997 - Estados Unidos:

Harold James Nicholson, agente da CIA do mais alto escalão é acusado de espionagem e condenado em junho de 1997 a 23 anos de prisão nos Estados Unidos por ter vendido informações aos russos.

1997 - Rússia:

Moise Finkel, cidadão russo, é condenado em Moscou a 12 anos de prisão por ter entregado aos Estados Unidos informações sobre os submarinos russos.

1998 - Estados Unidos:

David Sheldon Boone, ex-militar americano que trabalhava para a Agência de Segurança Nacional (NSA), é acusado em novembro de espionagem e de complô contra os Estados Unidos por suas atividades em benefício da KGB e da sua sucessora FSB.

1999 - Estados Unidos:

Stanislav Goussev, segundo secretário da embaixada da Rússia em Washington, é preso em dezembro nas imediações do Departamento de Estado americano e acusado de espionagem antes de ser expulso.

2000 - Rússia:

Edmond Pope, ex-oficial dos serviços secretos do Exército americano é acusado em abril pela justiça russa de espionagem e divulgação de segredos de Estado. É condenado a 20 anos de reclusão e perdoado pelo presidente russo Vladimir Putin.

2000 - Estados Unidos:

George Trofimoff, oficial aposentado dos serviços secretos do Exército americano é preso em junho na Flórida por espionagem em favor da ex-URSS. É condenado à prisão perpétua em setembro de 2001.

2001 - Estados Unidos:

Robert Hanssen, alto dirigente da contraespionagem americana - o birô Federal de Investigações (FBI) - é acusado em fevereiro de espionagem em favor da Rússia e condenado à prisão perpétua.

2002 - Rússia:

Oleg Kaluguin, general da KGB, exilado nos Estados Unidos desde 1995, é condenado em junho à revelia, por alta traição, a 15 anos de reclusão por um tribunal de Moscou. Dirigiu nos EUA a rede de espiões soviéticos durante a Guerra Fria.

Alexander Sypatchev, coronel dos serviços de inteligência russos, é condenado em novembro a oito anos de prisão por um tribunal militar de Moscou por ter tentado transmitir à CIA segredos de Estado.

2003 - Rússia:

Alexander Zaporojski, ex-agente da inteligência russa, é condenado em junho a 18 anos de prisão por espionagem em favor de Washington. Entregou à CIA informações sobre as atividades dos serviços secretos russos no exterior.

2004 - Rússia:

O russo Igor Sutiaguin acusado de espionagem a favor dos Estados Unidos e condenado em abril a 15 anos de prisão por ter transmitido informações sobre o sistema de defesa nuclear russo.

2010 - Estados Unidos:

Guennadi Sipatchev é condenado em maio a 4 anos de prisão por entregar ao Departamento de Defesa americano cartografia que permitiria aos Estados Unidos dirigir seus mísseis contra bases militares na Rússia.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host