UOL Notícias Notícias
 
07/07/2010 - 15h28 / Atualizada 07/07/2010 - 15h35

Juiz Garzón será orador em ato na Associão Mutual israelita da Argentina

BUENOS AIRES, 7 Jul 2010 (AFP) -O juiz espanhol Baltasar Garzón será um dos oradores do dia 18 de julho, em Buenos Aires, durante cerimônia para marcar o 16º aniversário do atentado contra a Associação Mutual israelita AMIA, que deixou 85 mortos e mais de 300 feridos, informou a Agência judaica de notícias.

A solenidade será realizada em frente à sede reconstruída da entidade, no bairro portenho Once.

"As palavras de Garzón serão importantes e trascendentes nesta etapa que estamos vivendo. São 16 anos sem justiça", disse o secretário da associação, Julio Schlosser, destacando a ausência de resultados na investigação do ataque terrorista.

Como parte da cerimônia, também chegarão a Buenos Aires familiares das vítimas dos atentados às Torres Gêmeas de Nova York (2001) e da estação ferroviária de Atocha, em Madri (2004).

Garzón está atualmente suspenso de suas funções e será julgado por ter realizado brevemente, em 2008, uma investigação sobre os 114.000 desaparecidos da Guerra Civil espanhola (1936-1939) e os primeiros anos da ditadura franquista (1939-1975), depois de denunciado por várias organizações de extrema direita.

O atentado contra a Amia aconteceu às 9:53 do 18 de julho de 1994, quando uma Renault Trafic branca carregada de nitrato de amônia explodiu em sua porta. Em poucos segundos, a Associação Mutual Israelita Argentina e vários edifícios próximos foram transformados num monte de escombros. No atentado morreram 85 pessoas e outras 300 resultaram feridas. Sessenta e sete vítimas estavam dentro da AMIA e outras 18 na rua ou nos prédios ao lado. Foi o pior ataque terrorista na Argentina.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host