UOL Notícias Notícias
 
12/07/2010 - 11h56 / Atualizada 12/07/2010 - 11h58

Medvedev: o Irã está perto de possuir meios para criar uma arma nuclear

MOSCOU, 12 Jul 2010 (AFP) -O Irã está perto de obter os meios para fabricar uma arma nuclear, declarou nesta segunda-feira o presidente russo, Dmitri Medvedev, afirmação de surpreendente firmeza por parte da Rússia sobre o controvertido programa nuclear iraniano.

"O Irã se aproxima da posse de algo potencial que, a princípio, pode ser utilizado para fabricar uma arma nuclear", afirmou Medvedev, citado pela agência Interfax, durante uma reunião com os embaixadores da Rússia.

Esta declaração é uma nova mostra do endurecimento da posição da Rússia em relação ao Irã e a seu programa nuclear, apesar dos países manterem tradicionalmente boas relações.

Segundo a Interfax, Medvedev lamentou que a posse de tal potencial não seja em si uma violação do Tratado de Não-Proliferação Nuclear (TNP): "É um dos problemas", estimou, considerando, além disso, que "a parte iraniana não se comporta da melhor maneira".

A Rússia votou em junho, junto com as outras grandes potências do Conselho de Segurança da ONU, um quarto pacote de sanções financeiras e militares contra o Irã por causa de seu programa nuclear.

"As sanções têm um sentido, são um sinal destinado a estimular o processo de negociações. Agora é necessário ter paciência e haver uma retomada rápida do diálogo com Teerã', afirmou o presidente russo.

"Se a diplomacia deixar passar esta oportunidade, será um fracasso coletivo", acrescentou.

"Nós pedimos sistematicamente a Teerã que dê mostras da abertura e cooperação necessárias para a AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica)", enfatizou Medvedev.

O Irã, que afirma que seu programa nuclear tem objetivos puramente pacíficos, indicou na semana passada que poderá retomar sob certas condições o diálogo com o grupo 5+1 (EUA, Rússia, China, França, Grã-Bretanah e Alemanha).

"Quando o objetivo das negociações estiver claro, a República Islâmica do Irã estará disposta a discutir, a reforçar a cooperação internacional e a superar as preocupações comuns em relação ao tema", afirmou o chefe para questões nucleares iraniano, Said Jalili, em carta à chefe da diplomacia europeia Catherine Ashton, publicada pela agência Irna.

Jalili relembrou as três condições impostas pelo presidente iraniano Mahmud Ahmadinejad no dia 28 de junho às grandes potências.

Ele pediu a Ashton para deixar claro se "o objetivo das discussões era buscar um acordo para a cooperação ou uma perseguição hostil e confrontos contra o Irã e seus 'direitos' no domínio nuclear".

Jalili também pediu para que as grandes potências aceitassem "a lógica do diálogo cessando toda e qualquer ameaça e pressão", bem como estabelecer "seu posicionamento sobre as armas atômicas que o regime sionista (Israel) possui".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    1,02
    3,178
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,90
    67.976,80
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host