UOL Notícias Notícias
 
13/07/2010 - 18h20

Fariñas: Fidel avalizou a libertação dos presos, um "gesto de clemência"

HAVANA, 13 Jul 2010 (AFP) -O dissidente cubano Guillermo Fariñas, que se recupera de uma greve de fome de 135 dias, disse nesta terça-feira que o aparecimento de Fidel Castro na televisão representou uma espécie de "aval" à libertação de 52 presos políticos que, ao mesmo tempo, interpretou como um "gesto de clemência" do governo.

O aparecimento de Fidel Castro "foi um aval indireto ao que está ocorrendo com nossos presos e às negociações mantidas com a União Europeia e a Igreja Católica", disse Fariñas que, depois do anúncio oficial de libertação dos presos políticos pôs fim à greve de fome.

"É importantíssimo, essencial, que Fidel tenha reaparecido lúcido, consciente, para que os mais radicais dentro do regime não possam acusar o governo de Raúl Castro e aos que querem mudanças de traidores do líder", estimou.

Também foi "maneira de desviar a atenção da opinião pública nacional e internacional", de mostrar a seus seguidores que "o Comandante está aqui", estimou.

"Indiscutivelmente, o governo fez um gesto de clemência para com seus opositores e, acredito, deverá continuar fazendo", declarou Fariñas à AFP por telefone, do hospital da cidade de Santa Clara (centro), ao referir-se a 115 presos políticos que ainda estão nos cárceres cubanos.

Em relação à própria saúde, Fariñas explicou que já começou a ingerir líquidos, embora seu estado ainda seja "muito grave" devido a um coágulo alojado na jugular.

"Estou bebendo água, sucos naturais, gelatina e caldos de frango quente", comentou com voz clara e animada.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h29

    -0,03
    3,135
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h33

    -0,16
    75.868,23
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host