UOL Notícias Notícias
 
13/07/2010 - 18h01

Médicos dos EUA praticam corporativismo contrariando a lei, demonstra estudo

WASHINGTON, 13 Jul 2010 (AFP) -Os médicos americanos resistem a denunciar seus colegas de profissão que cometem erros ou não estão em condições de exercer a medicina, apesar de a lei de vários estados assim o determinar, revelou um estudo publicado nesta terça-feira.

"Em seus estatutos, muitos estados obrigam os médicos a apontar às autoridades seus colegas que têm sua capacidade de exercer (a medicina) afetada por álcool, drogas, uma doença ou um problema sociológico", afirmaram os autores de um estudo realizado por médicos no Hospital Geral de Massachusetts, em Boston.

"Os dados sugerem que a taxa de indicação é muito mais baixa do que deveria ser, levando em conta o número de médicos que se veem incapacitados de continuar com suas carreiras", destacou o estudo publicado na revista Jama (Journal of the american medical association) de julho.

A pesquisa observou o comportamento de 1.891 médicos em 2009, dos quais uma ampla maioria (64%) se disse disposta a apontar um colega incompetente. No entanto, apenas 17% deles disseram ter tido conhecimento de casos de médicos incompetentes e apenas uma parte deste grupo de doutores informou o caso às autoridades competentes.

"Estas conclusões são preocupantes porque o sistema de vigilância e denúncia dos pares é um dos mecanismos essenciais para identificar os médicos cujas práticas e atitudes se tornam problemáticas", concluíram os autores do informe.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host