UOL Notícias Notícias
 
18/07/2010 - 15h29

Farc e ELN perderam 21.500 combatentes na Colômbia

BOGOTÁ, Colômbia, 18 Jul 2010 (AFP) -As guerrilhas colombianas das Farc e o ELN perderam 21.500 combatentes durante o mandato de Álvaro Uribe e esses grupos não representarão uma ameaça para o futuro governo de Juan Manuel Santos, assinalou neste domingo o máximo chefe militar do país, Freddy Padilla.

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) passaram de 25.000 combatentes há oito anos a 8.000 atualmente e o Exército da Libertação Nacional (ELN) passou de 7.000 a 2.500, declarou o general Padilla ao jornal El Espectador.

Padilla, que não especificou quantos insurgentes foram abatidos ou desertaram, também disse que mais de 50.000 pessoas que pertenciam às guerrilhas, os paramilitares de direita e outros grupos aceitaram ser colocados sob um plano de desmobilização do governo.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,31
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,60
    62.662,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host