UOL Notícias Notícias
 
19/07/2010 - 18h08

Ban Ki-moon pede a presidente afegão ações concretas para melhorar o governo

NOVA YORK, Nações Unidas, 19 Jul 2010 (AFP) -O secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, pediu ao presidente afegão, Hamid Karzai, que revelasse durante a conferência internacional desta terça-feira, em Cabul, ações concretas para melhorar a administração do país.

"Esperamos que o presidente Karzai e seu governo cheguem a um plano de ação concreto para melhorar a governança, promover a reconciliação e melhorar a segurança no país", disse o secretário-geral da ONU, em entrevista exclusiva à AFP.

O governo afegão e os representantes de mais de 60 países doadores vão tentar chegar a um acordo sobre as prioridades de desenvolvimento e o futuro do país devastado pela guerra. Ban Ki-moon que presidirá junto de Karzai a conferência na capital afegã garantiu que o futuro do Afeganistão é "prioridade máxima" para a comunidade internacional e para a ONU.

"Estamos pressionando o presidente Karzai a fazer mais pela boa governança e, em particular, para lutar contra a corrupção no país e também para fazer mais para promover a reconciliação", disse Ban. Ele insistiu sobre o fato de que a comunidade internacional apoiava o programa lançado por Hamid Karzai que consistia em iniciar o diálogo de paz com os talibãs moderados.

"Mas isso não vai acontecer sem condições", declarou, destacando que era preciso que os combatentes moderados renunciassem à violência e aceitassem a constituição afegã, cortando qualquer relação com a rede Al-Qaeda.

"Esse processo de reconciliação com os talibãs deve ser conduzido pelos afegãos. Mas as Nações Unidas e a comunidade internacional estão prontas para ajudar", acrescentou.

A conferência deve marcar uma nova etapa no lento processo de emancipação do governo afegão, que se prepara para liderar o país no futuro e, especialmente, para defender-se depois que as tropas da Otan e dos Estados Unidos, posicionadas ali desde o final de 2001, forem embora.

"Vai ser um grande desafio", considerou Ban, completando que a ONU iria continuar a trabalhar no Afeganistão em domínios civil e socioeconômico. "Ajudaremos os afegãos até que eles possam caminhar sozinhos".

O conflito "não pode ser resolvido unicamente através dos meios militares", declarou. "Deve haver uma estratégia global".

Ele ainda acrescentou que havia inúmeras vezes pedido ao presidente afegão para "melhorar e manter boa relação com os países vizinhos, em particular o Paquistão".

Ban disse também estar preocupado com a segurança do pessoal da ONU no país. Em outubro passado, cinco empregados da organização foram mortos em um atentado realizado pelos talibãs.

"Em razão de grandes preocupações sobre a segurança, alguns representantes faltaram", concluiu.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h40

    0,05
    3,268
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h42

    0,48
    62.964,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host