UOL Notícias Notícias
 
24/07/2010 - 12h25

Almirante Mullen visita Paquistão para abordar presença de islamitas

ISLAMABAD, 24 Jul 2010 (AFP) -O chefe do Estado-Maior conjunto dos Estados Unidos, o almirante Michael Mullen, chegou neste sábado ao Paquistão, país que preocupa Washington pela presença em seu território de islamitas acusados de atacar as tropas da Otan no vizinho Afeganistão.

Durante sua visita de apenas um dia, o almirante Mullen deverá se reunir com os oficiais americanos que supervisionam a assistência militar ao Paquistão e também com o chefe do Estado-Maior paquistanês, o general Ashfaq Kayani.

"Esta visita ao Paquistão é parte das consultas bilaterais habituais entre Estados Unidos e Paquistão", indicou a embaixada americana em um comunicado.

Mullen e outras autoridades americanas elogiaram o Paquistão por sua luta contra os islamitas no noroeste do país.

No entanto, também pediram ao Exército do Paquistão que estenda suas operações à rede Haqqani. O almirante Mullen considerou na sexta-feira em uma entrevista coletiva à imprensa em Nova Délhi que essa rede é a força "mais letal" qua as forças internacionais no Afeganistão enfrentam, e disse que insistiu com o Paquistão para que combata o grupo.

O general Kayani "está consciente da prioridade" de se combater a rede Haqqani, disse Mullen em Nova Délhi, ao término de uma visita de dois dias.

Criada pelo senhor da guerra afegão Jalaluddin Haqqani e liderada por seu filho Sirajuddin, a rede Haqqani é um dos mais duros adversários das forças internacionais no Afeganistão, sobretudo no leste do país.

Mullen também disse que deveria haver uma mudança de estratégia no serviço de inteligência paquistanês, o ISI, acusado regularmente de encarar os islamitas e os talibãs afegãos como uma força de apoio na rivalidade de Islamabad com a Índia.

"Creio que o enfoque estratégico do ISI precisa mudar", declarou o almirante Mullen.

Segundo autoridades americanas, Mullen deverá sobrevoar uma região do norte de Paquistão, na qual o general Kayani o informará sobre as operações contra os talibãs.

Kayani, talvez o homem mais forte da única potência nuclear do mundo muçulmano, é uma figura central para o governo Obama em sua luta contra a insurgência que luta contra os governos de Cabul e Islamabad.

A visita de Mullen coincide com o que parece ter sido de forma muito verossímil um novo ataque de aviões sem piloto americanos no Paquistão. Segundo fontes de segurança, as aeronaves mataram 12 militantes ao atacarem um acampamento utilizado por combatentes islamitas em uma zona tribal do noroeste.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h39

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h45

    -0,57
    63.720,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host