UOL Notícias Notícias
 
26/07/2010 - 12h56

Karzai: foguete que matou 52 civis afegãos foi disparado pela Otan

CABUL, 26 Jul 2010 (AFP) -O presidente afegão Hamid Karzai afirmou nesta segunda-feira que as forças da Otan dispararam um foguete que matou 52 civis inocentes no sul do Afeganistão na sexta-feira passada.

"Uma casa na província de Helmand foi atingida por um foguete disparado pelas tropas da Otan-Isaf, causando a morte de 52 civis, incluindo mulheres e crianças", indicou um comunicado da Presidência.

"O presidente expressou suas condolências por telefone às famílias de luto e pediu que a Otan aplique todas as medidas possíveis para evitar ferir civis durante as operações militares", acrescentou.

Anteriormente, Waheed Omar, porta-voz da Presidência afegã, havia anunciado que "um foguete tinha sido disparado, atingindo uma casa onde vários civis buscavam refúgio" em Sangin, distrito da província de Helmand, bastião dos talibãs. O porta-voz indicou que de 45 a 50 pessoas tinham sido mortas.

O governo afegão havia afirmado também que aguardaria as conclusões de uma investigação para verificar se os elementos apontavam para a responsabilidade dos rebeldes talibãs ou das forças internacionais.

No sábado, dois moradores consultados por um jornalista da AFP no hospital de Kandahar, província vizinha, haviam afirmado que quarenta civis poderiam ter sido mortos e feridos na sexta-feira e que o os foguetes tinham sido disparados por helicópteros das forças internacionais.

De acordo com os dois afegãos, um grupo de moradores tinha deixado sua aldeia porque talibãs alertavam para um iminente ataque da Otan. Os moradores buscaram então refúgio em uma aldeia vizinha, que foi bombardeada pela Otan, segundo eles.

Esses testemunhos não tinham sido confirmados nem pela Otan nem pelas autoridades locais consultadas pela AFP.

Em um comunicado divulgado no domingo, a Força Internacional da Otan no Afeganistão (Isaf) havia indicado que não tinha "relatório algum de operações que possam confirmar esse suposto incidente".

Um porta-voz da Isaf, o coronel Wayne Shanks, indicou à AFP que o suposto local da morte dos civis, uma aldeia chamada Regey, está localizada "a vários quilômetros do local onde (as tropas da Otan) combatemos inimigos".

Os civis são as maiores vítimas do conflito no Afeganistão, atingidos com frequência por ataques suicidas ou bombas artesanais rebeldes, segundo a ONU, mas também por bombardeios ou operações dos cerca de 150.000 soldados internacionais mobilizados no país.

Esta nova polêmica ocorre no momento da divulgação por um site especializado em inteligência, o Wikileaks, de dezenas de milhares de arquivos secretos do Pentágono sobre o Afeganistão de 2004 a dezembro de 2009 revelando erros das tropas internacionais.

De acordo com o Guardian, um dos três veículos que tiveram acesso aos arquivos, pelo menos 195 mortos civis estão registrados nestes arquivos, um número "provavelmente subestimado porque vários eventos controversos são omitidos nos relatórios diários das tropas no terreno".

A maior parte dessas mortes foi provocada por disparos de soldados nervosos em postos de controle.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,84
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,35
    68.594,30
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host