UOL Notícias Notícias
 
26/07/2010 - 13h40

Técnica respiratória ajuda portador de deficiência com problema motor grave

WASHINGTON, 26 Jul 2010 (AFP) -As pessoas que sofrem de alguma incapacidade motora grave, muito em breve poderão até escrever, conduzir sua cadeira de rodas ou navegar na internet graças a um novo aparelho acionado pela própria respiração, segundo um estudo difundido nesta segunda-feira nos Estados Unidos.

O aparelho funciona graças à pressão exercida pela respiração nasal, que percorre o véu do palato, explica o estudo divulgado nos Anais da Academia Nacional de Ciências Americanas (PNAS).

"O véu do palato é controlado pelos nervos cranianos, que se mantêm bem conservados por trás de um ferimento grave", explicou à AFP Noam Sobel, professor de neurobiologia do Instituto Weizmann de Rehovot, de Israel, um dos principais autores do estudo.

"É por essa razão que o piscar dos olhos pode ser usado na comunicação com as pessoas gravemente feridas. Ele também é controlado pelos nervos cranianos", explica o especialista.

Noam Sobel trabalhou com colegas do Instituto Weizmann e da Faculdade de Medicina Sackler da Universidade de Tel Aviv para desenvolver um meio de transformar a respiração em sinais elétricos.

O aparelho, um pequeno tubo instalado na entrada da narina e conectado a um sensor que mede a pressão, é parecido com os tubos usados para administrar oxigênio em pacientes nos hospitais. Os portadores de deficiência que o testaram conseguiram rapidamente jogar games no computador ou escrever utilizando sua respiração.

Estimulados por esses resultados, os pesquisadores decidiram testar o aparelho com pessoas tetraplégicas ou com claustrofobia: uma moça tetraplégica que sofre de esclerose severa conseguiu escrever pela primeira vez em dez anos, aprendeu a mover um cursor na tela graças à respiração e, desde então, utiliza o aparelho para enviar e-mails.

"Este aparelho permitiu que nos comunicássemos com as pessoas seriamente incapacitadas e, inclusive, com pessoas que não podiam sequer piscar e que agora nos enviam sinais através da respiração. É emocionante", comentou Sobel.

Os pesquisadores adaptaram o aparelho, em seguida, para ser utilizado em uma cadeira de rodas elétrica.

"Um tetraplégico pode utilizar o controle da respiração para conduzir uma cadeira de rodas elétrica com uma grande precisão depois de apenas 15 minutos de treinamento", segundo o estudo.

Esta tecnologia ainda está em desenvolvimento e o Instituto Weizmann já solicitou a patente. Se chegar a uma etapa de produção em massa, o aparelho não deverá custar mais de 10 a 20 dólares, segundo Noam Sobel.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host