UOL Notícias Notícias
 
27/07/2010 - 13h23

Sevilha será tão quente quanto Tucson, no Arizona, até o final deste século

MADRI, 27 Jul 2010 (AFP) -A cidade de Sevilha no sul da Espanha pode ficar tão quente quanto Tucson, no deserto do Arizona nos Estados Unidos, até o final deste século, segundo um estudo da Agência Espanhola de Meteorologia, Aemet, publicado nesta terça-feira.

De acordo com suas projeções, as temperaturas máximas registradas na Espanha serão, pelo período entre 2071 e 2100, de três a seis graus superiores àquelas estabelecidas entre 1961 e 1990.

Se as temperaturas aumentarem efetivamente em seis graus até o final do século XXI, o clima observado em Sevilha será, neste momento, similar ao de Tucson, explicou o presidente da Aemet, Ricardo Garcia Herrera.

O clima em Madri será, então, comparável ao de Sevilha, enquanto fará tanto calor em Pamplona (norte da Espanha) quanto faz hoje na capital, precisou.

Segundo as estimativas, as precipitações devem continuar estáveis na Espanha até 2050 em comparação com o século XX, mas, em seguida, deve decrescer em 15 a 30% entre 2090 e 2100 em comparação com 1961-1990.

Os especialistas do governo e ambientalistas alertam há anos sobre uma futura "africanização" da Espanha, que já é o país mais árido da Europa, com um risco de "desertificação" em um terço de seu território em curto prazo.

Um relatório científico apresentado pelo Ministério do Meio Ambiente em abril indicou que a Espanha se aquecia mais rápido que outros países do hemisfério norte nos últimos 30 anos.

O país registrou um aumento progressivo médio de suas temperaturas de 0,5°C por década desde 1975, taxa "50% maior do que a média dos países do hemisfério norte", segundo o relatório.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,40
    3,181
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    2,01
    70.011,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host