UOL Notícias Notícias
 
29/07/2010 - 18h25

Casamento de Chelsea Clinton agita pequena cidade americana

Rhinebeck, EUA / New York, 29 Jul 2010 (AFP) -Os sinos do casamento ainda não estão tocando, mas as máquinas registradoras sim, enquanto começa na pequena cidade americana de Rhinebeck, em Nova York, a contagem regressiva para o casamento de Chelsea Clinton, que ocorrerá no sábado.

"É como se a cidade estivesse sediando as Olimpíadas", disse Alex Batkin, empresário da butique de artes Wing and Clover.

Assim como o resto do mundo, os habitantes da cidade podem apenas imaginar os detalhes do casamento repleto de suspense entre Chelsea, filha do ex-presidente Bill Clinton e da secretária de Estado americana, Hillary Clinton, e o executivo das finanças Marc Mezvinsky.

A lista de convidados continua em segredo, mas nomes tão variados como Steven Spielberg e Oprah Winfrey são citados por sites de fofocas, mas o presidente Barack Obama disse que não vai comparecer.

O evento ocorrerá no complexo Astor Courts, nos arredores de Rhinebeck, a quase três horas de Nova York, apesar de essa informação também não ter sido confirmada.

De qualquer forma, Rhinebeck, cuja população é de cerca de 8.000 pessoas, dá as boas-vindas ao casal.

"Parabéns, Marc e Chelsea!", diz um cartaz na janela do restaurante Pete's Famous Restaurant.

"Mazel tov" ("boa sorte", em hebraico) , diz outro cartaz na doceria Samuel, em referência à religião de Mezvinsky, que é judeu.

Junto com os votos de felicidade está a fome por bons negócios em uma cidade pacata que passou de um local essencialmente rural para um destino frequentado por abastados nova-iorquinos.

Ecoando a ausência de notícias fornecidas pela família Clinton, ninguém na cidade discute abertamente a fatia que obteve na bonança trazida pelos 400 hóspedes esperados para a festa. Mas, evidentemente, ninguém quer ficar de fora.

Um dos grandes beneficiários será o pitoresco Beekman Arms inn, que afirma ser o hotel mais velho ainda em funcionamento nos Estados Unidos.

Operários pintavam o teto do estabelecimento nesta quinta-feira, enquanto os funcionários levavam malas para os quartos já totalmente reservados.

Questionado sobre quem seriam os hóspedes, o normalmente educado recepcionista fecha a cara.

"Nenhum comentário a fazer", disse ao repórter. Outro funcionário expressou a mesma mensagem com gestos.

A loja de Batkin já faturou pelo menos um pouco: vendeu uma pintura comprada de presente para os noivos.

A tela traz a inscrição "Chelsea e Marc" sobre uma cena 'naif' de um bolo de casamento, cercado por árvores, esquilos e um rio cheio de peixes.

É claro que Batkin não diria por quanto vendeu a pintura, nem para quem. "Simplesmente, não posso", desculpou-se.

Do outro lado da rua, na loja de bebidas 'Liquors and Wines', Mike Haley disse que o vinho branco servido na festa será dos vinhedos Clinton, procedentes da vizinha cidade de mesmo nome.

"É muito leve e seco. Combina com peixe ou frango", explicou, enquanto olhava, pensativo, para seu enorme estoque de garrafas. "Adoraria ser o fornecedor. Mas ainda não recebi uma ligação deles", lamentou.

Esperando receber pelo menos uma parte do dinheiro que será gasto no casamento, ele colocou algumas garrafas de Clinton Vineyards Tribute 2009 na vitrine de sua loja.

Outra empresa que espera faturar com o casamento é a Rhinebeck Deli, onde o menu anuncia a "Secretária de Steak", em alusão à mãe da noiva, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

Até mesmo os Hudson Valley Renegades, time de beisebol de uma liga secundária, quer aproveitar o momento.

O mascote da equipe, um homem vestido de guaximim, postou-se nos principais cruzamentos de Rhinebeck, na terça-feira, exibindo um cartaz onde se lia: "Chelsea, casa comigo?", para surpesa e divertimento de moradores e turistas.

"Queremos atrair algum burburinho para o time, assim as pessoas virão ao parque para nos ver", explicou A.J. Tomeny, membro da equipe.

Mas toda esse agito cairá por terra se Rhinebeck não for o local verdadeiro do casamento da ex-primeira-filha, mas ao contrário, uma distração elaborada pela família Clinton, como suspeitam alguns que acreditam em teorias da conspiração.

A hipótese não parece preocupar o Hudson Valley News, semanário local que se tornou fonte primária para o cada vez maior número de correspondentes internacionais na cidade.

Sem citar fontes, a última edição noticiou que o casamento será celebrado em Astor Courts, a partir das 18h00 locais de sábado (19h00 de Brasília) e que a polícia fechará as vias vizinhas.

"PARABÉNS, CHELSEA E MARC", diz a mensagem publicada na primeira página, com alguma antecipação.

Enquanto toma café no Pete's Famous Restaurant, Ed Hammond, de 79 anos, diz que toda esta comoção é "doentia".

"Acho que perderam a noção das duas pessoas que realmente importam, aquelas que vão se casar", disse. "Quanto a mim, vou dar o fora. Não gosto nada de multidões", concluiu.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host