UOL Notícias Notícias
 
03/08/2010 - 19h41

Empregado em fúria mata 8 e se suicida nos EUA

NOVA YORK, 3 Ago 2010 (AFP) -Um funcionário descontente provocou um massacre nesta terça-feira em uma empresa de distribuição de cerveja, ao assassinar oito pessoas antes de se suicidar, confirmou a polícia.

Os policiais foram chamados a Hartford Distributors, em Manchester, Connecticut, pouco depois das 11h30 GMT (08h30 de Brasília), no momento da mudança de turno, quando havia em torno de 40 pessoas no local.

"Nove pessoas, incluindo o suspeito, morreram durante o ataque", afirmou a polícia de Manchester em um comunicado.

"Neste momento, estamos no processo de identificação das vítimas e notificando as famílias", completou.

Segundo testemunhas, entre as vítimas há um membro da família proprietária da empresa e alguns empregados.

O atirador foi encontrado morto cerca de 40 minutos após realizar o massacre.

Três pessoas baleadas no incidente foram internadas no hospital de Hartford e um quarto ferido morreu a caminho do hospital.

O ataque ocorreu no momento da mudança de turno, confirmou o diretor de marketing da companhia, Brett Hollander.

Um membro do sindicato Teamsters, John Hollis, citado pelo jornal Hartford Courant, disse que o atirador era Omar Thornton, de 34 anos, que estava há relativamente pouco tempo na empresa.

Segundo o sindicalista, Thornton foi convocado para uma reunião pela direção da Hartford Distributors devido a um problema de disciplina. "Seria acompanhado pelo sindicato para tratar de resolver a questão".

Uma vizinha do assassino, que morava no bairro Enflied de Manchester, Joanne Hannah, disse que Thornton era uma pessoa normal, que conviveu com sua filha durante cerca de oito anos.

Thornton se queixava de discriminação no trabalho por ser negro, segundo Hannah.

Testemunhas revelaram que logo após o ataque houve um incêndio e surgiu uma coluna de fumaça negra sobre o depósito de bebidas, o que exigiu a intervenção dos bombeiros.

Vários especialistas da brigada de explosivos revistaram o local a procura de possíveis bombas, segundo a imprensa.

O representante John Larson, da cidade vizinha de East Hartford e que conhecia pessoalmente os proprietários da empresa familiar, visitou o local do massacre.

"A família Hollander é, provavelmente, uma das mais respeitadas da comunidade hebraica de Hartford", disse Larson. "Não havia obra de caridade sem sua participação".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h09

    0,46
    3,172
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h13

    0,20
    74.595,68
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host