UOL Notícias Notícias
 
03/08/2010 - 15h21

Lula critica potências por punirem o Irã sem negociar

SAN JUAN, Argentina, 3 Ago 2010 (AFP) -O presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, condenou nesta terça-feira, na Argentina, as sanções aplicadas pelas grandes potências ao Irã por sua política nuclear antes de negociar com a República Islâmica.

"O documento que (Brasil e Turquia) assinamos com o Irã reproduzia fielmente os termos da carta que (o presidente dos Estados Unidos,) Barack Obama, mandou a mim e ao primeiro-ministro turco. Exatamente o que Obama me disse que tinha que conseguir, nós conseguimos", disse Lula, em seu discurso na cúpula presidencial do Mercosul, celebrada na cidade argentina de San Juan.

O chefe de Estado brasileiro lamentou o fato de que o que podia ter sido o início das negociações "se transformou em sanções".

O Conselho de Segurança da ONU reforçou, em junho, as sanções internacionais contra Teerã, diante da suspeita de que quer desenvolver a bomba atômica sob a fachada de um programa nuclear civil.

A iniciativa foi rapidamente seguida de sanções por parte dos Estados Unidos e da União Europeia, que foram reforçadas nas últimas horas, com as quais se quer pressionar o Irã a que, além de retomar as conversações, pare de enriquecer urânio.

O grupo de Viena (EUA, Rússia e França) havia levantado uma série de questionamentos sobre a proposta de intercâmbio de combustível nuclear, feita por Brasil, Turquia e Irã, chamada de Declaração de Teerã.

O Irã, que expressou o desejo de dar continuidade a seu programa nuclear civil, se disse disposto a voltar à mesa de negociações com as grandes potências, às quais quer que se juntem Brasil e Turquia.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    11h00

    -0,15
    3,261
    Outras moedas
  • Bovespa

    11h01

    1,05
    63.321,93
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host