UOL Notícias Notícias
 
03/08/2010 - 10h37

Paquistão: coalizão internacional está perdendo a guerra no Afeganistão

PARIS, 3 Ago 2010 (AFP) -O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, afirmou que as forças da coalizão internacional mobilizadas no Afeganistão estão perdendo a guerra contra os talibãs, em entrevista publicada pelo jornal francês Le Monde.

"Considero que a comunidade internacional, à qual pertence o Paquistão, está perdendo a guerra contra os talibãs e isso porque, antes de mais nada, perdemos a batalha para conquistar os corações e os espíritos", declarou Zardari.

"Os principais fracassos da coalizão são ter subestimado a situação no terreno e não ter tomado consciência da magnitude do problema", considerou Zardari.

Em sua opinião, os reforços militares internacionais "são apenas uma pequena parte da resposta".

Apesar de achar que os talibãs não voltarão a recuperar o controle de Cabul, de onde foram derrubados no final de 2001 pela coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos, advertiu que seu domínio no território afegão registra progressos.

O presidente paquistanês iniciou na segunda-feira em Paris uma viagem pela França e Grã-Bretanha, países envolvidos militarmente no Afeganistão, num momento em que Londres acusa os serviços paquistaneses de apoiar os rebeldes talibãs.

Na véspera, Zardari se reuniu com o presidente francês Nicolas Sarkozy e, na sexta, tem previsto encontrar-se com o primeiro-ministro britânico David Cameron, que nesta terça declarou não lamentar ter acusado o Paquistão "de exportar terrorismo".

"Não lamento nada", declarou Cameron durante uma sessão de perguntas e respostas com ouvintes de uma das rádios da BBC.

O primeiro-ministro afirmou ainda ter dado "uma resposta clara e franca" a uma pergunta a respeito feita na Índia.

As declarações de Cameron na semana passada, durante uma visita à Índia, vizinha e adversária do Paquistão, provocaram grande polêmica em Islamabad.

"Não podemos tolerar em nenhum sentido a ideia de que este país (Paquistão) possa, de alguma maneira, promover a exportação do terrorismo, seja para a Índia, Afeganistão ou qualquer outro lugar no mundo", disse na ocasião.

Islamabad convocou na segunda-feira o embaixador britânico no Paquistão para falar a respeito da acusação.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,13
    3,270
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,51
    63.760,94
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host