UOL Notícias Notícias
 
04/08/2010 - 17h17

Confirmado: quem quiser ver o papa na Grã-Bretanha terá que pagar

LONDRES, 4 Ago 2010 (AFP) -As aparições públicas do Papa Bento XVI durante sua viagem à Grã-Bretanha entre os dias 16 e 19 de setembro serão pagas: a maioria dos peregrinos deverá desembolsar até 30 euros para assistir às missas, confirmou a Igreja Católica local nesta quarta-feira, evocando "uma doação".

A missa mais cara será aquela organizada no domingo, dia 19, em Birmingham, no centro da Inglaterra, durante a qual será beatificado o cardeal John Henry Newman, um protestante convertido ao catolicismo que morreu em 1890.

Os fiéis deverão pagar 25 libras (30 euros), com a finalidade de, principalmente, cobrir as despesas de viagem de ônibus e aluguel do local. Eles receberão um "kit peregrino": uma pequena sacola com instruções para chegar ao evento, um CD comemorativo e um cartão postal, informou um porta-voz da Igreja Católica da Inglaterra e do País de Gales à AFP.

No total, 70 mil bilhetes serão colocados à venda, segundo a agência de notícias italiana Ansa.

Os peregrinos menos afortunados poderão se consolar com a missa celebrada no dia 16 de setembro em Glasgow, Escócia (norte), que é oferecia por 20 libras (24 euros).

Por esse montante, eles terão o privilégio de ouvir a cantora Susan Boyle, descoberta no programa "Britain's got talent". Além do bilhete, todos receberão um kit contendo um CD sobre a viagem do papa e um livro de preces.

A contribuição para a vigília organizada no Hyde Park em Londres no dia 17, durante a qual o trio de sacerdotes "The Priests" (disco de platina) fará um concerto para 130 mil pessoas, será de apenas 5 libras - inicialmente, a quantia anunciada era de 10 libras (12 euros) - mas sem incluir o ticket transporte.

Para o porta-voz do Vaticano, o padre Federico Lombardi, citado pelo jornal Il Corriere della Sera, trata-se de "uma simples contribuição para as despesas gerais". "Aqueles que não puderem pagar ficarão isentos". No entanto, ele não informou como os peregrinos desafortunados poderão justificar e comprovar sua situação financeira.

Questionado pela AFP, o Vaticano recusou-se a fazer qualquer comentário.

As dioceses da Igreja Católica da Inglaterra e do País de Gales, e aquelas da Igreja da Escócia, devem dar uma contribuição para ajudar nas despesas das viagens de carro, explicou uma porta-voz. "Cada diocese está livre para propor uma maneira de contribuir para os fundos (...), a maioria decidiu repassar o pedido de contribuição para os fiéis", precisou.

O orçamento da visita papal, que segundo a imprensa britânica deverá chegar a cerca de 23 milhões de libras (27,4 milhões de euros), criou uma polêmica na Grã-Bretanha. Só o governo vai desembolsar cerca de 10 a 12 milhões de libras (12 a 14,5 milhões de euros), além dos gastos da polícia e com segurança.

Em um país que contabiliza 4,2 milhões de católicos em 61 milhões de habitantes, os fiéis excluídos das celebrações poderão se consolar comprando suvenires na internet (www.thepapalvisit.org.uk): camisetas com o rosto do papa (22 euros), um rosário negro (18), velas (3,60) ou ainda xícaras de café (12).

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,32
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,56
    63.760,62
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host