UOL Notícias Notícias
 
05/08/2010 - 11h35

Ban Ki-mon: a única maneira de evitar o uso de armas nucleares é eliminá-las

TÓQUIO, 5 Ago 2010 (AFP) -O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, declarou nesta quinta-feira em Nagasaki (sudoeste do Japão) que a única maneira de assegurar-se de que as armas nucleares não serão utilizadas é eliminá-las.

Ban é o primeiro secretário-geral da ONU a visitar a cidade mártir de Nagasaki, arrasada por uma bomba nuclear lançada pelos Estados Unidos em 9 de agosto de 1945, três dias depois do bombardeio atômico de Hiroshima (sul).

"A única maneira de assegurar-se de que tais armas jamais voltarão a ser utilizadas é eliminá-las todas", afirmou, em um discurso pronunciado no mesmo local em que explodiu a bomba plutônio.

"Vim prestar homenagem aos 'hibakusha' pelos sofrimentos espantosos que enfrentaram", acrescentou, enfatizando que sua visita era um testemunho de "solidariedade em relação aos cidadãos de Nagasaki".

"Hibakusha" é o nome que se dá, no Japão, aos sobreviventes dos bombardeios atômicos.

Em 6 de agosto de 1945, os Estados Unidos lançaram uma bomba A, a primeira da história, sobre a cidade industrial de Hiroshima, situada no oeste do Japão. A exposição nuclear não deixou nenhum ser vivo em um raio de mais de quilômetro.

Entre o dia da explosão e 31 de dezembro de 1945, 140.000 pessoas morreram por exposição às radiações.

Em 9 de agosto, os Estados Unidos lançaram uma segunda bomba sobre o porto de Nagasaki, mais ao sul, deixando 70.000 mortos.

Ban também visitou o museu dedicado às vítimas e se reuniu com sobreviventes do bombardeio.

Ele também vai visitar o memorial dedicado às vítimas coreanas da bomba nuclear e dar uma coletiva de imprensa na igreja cristã uma estátua da Virgem Maria resistiu ao bombardeio.

Na noite desta quinta, partirá para Hiroshima, a outra cidade mártir situada, para assistir, nesta sexta, às cerimônias pelo 65º aniversário da explosão da primeira bomba atômica da história.

Nenhum secretário-geral das Nações Unidas assistiu até agora as cerimônias realizadas anualmente desde o fim da Segunda Guerra Mundial.

Sessenta e cinco anos depois de ter lançado uma bomba atômica, os Estados Unidos também serão representados pela primeira vez nas cerimônias em memória por este ato de guerra.

França e Grã-Bretanha, aliados dos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial e também possuidoras desse tipo de armamento, vão se associar nesta iniciativa inédita enviando diplomatas para marcar seu apoio aos esforços para reduzir os arsenais nucleares.

O atual embaixador dos Estados Unidos no Japão, John Roos, depositará na sexta-feira uma coroa de flores em Hiroshima.

"Trata-se de expressar nosso respeito para com todas as vítimas da Segunda Guerra Mundial", precisou o Departamento de Estado em Washington.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h19

    -0,77
    3,258
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h26

    0,93
    63.815,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host