UOL Notícias Notícias
 
05/08/2010 - 09h07

Naomi Campbell diz que recebeu diamantes brutos como presente de Taylor

HAIA, 5 Ago 2010 (AFP) -A modelo britânica Naomi Campbell depôs nesta quinta-feira ante o tribunal especial para Serra Leoa (TESL) de Haia, onde declarou ter recebido diamantes brutos como presente do presidente liberiano Charles Taylor, que é julgado por crimes de guerra e contra a Humanidade.

A promotoria convocou o depoimento da top model com o objetivo de questioná-la sobre um diamante que Taylor teria enviado para o quarto de hotel da modelo em 1997, depois de um jantar organizado pelo então presidente sul-africano Nelson Mandela, na Cidade do Cabo.

O testemunho de Naomi Campbell demonstrará, segundo os promotores do TESL, que Taylor mentiu ao afirmar que nunca possuiu diamantes brutos.

"Estava dormindo e bateram na porta. Abri e dois homens me deram uma bolsinha, dizendo: 'é um presente para você'", contou a modelo.

Segundo ela, só abriu a bolsinha na manhã seguinte. "Dentro vi umas pedras, muito pequenas e que pareciam sujas. Não havia explicação alguma, nem nada escrito", acrescentou.

A modelo disse aos juízes que não pensou de imediato que o conteúdo da bolsa eram diamantes. "Estou acostuma a ver diamantes brilhantes, e em caixas", explicou.

Campbell assinalou que, no dia seguinte, contou o ocorrido a sua ex-agente Carole White e à atriz Mia Farrow.

"Uma delas disse que obviamente eram de Charles Taylor e eu respondi: 'É, acho que foi ele".

Campbell acrescentou que não guardou os diamantes e que os entregou para uma amiga, que trabalha na fundação de Nelson Mandela para a infância.

A modelo disse ainda que não voltou a ver Taylor depois do jantar, nem perguntou a ele sobre o presidente, que não a surpreendeu.

"Recebo presentes o tempo todo, a qualquer hora da noite. É normal para mim receber presentes".

Campbell havia se negado a falar com a promotoria, alegando temer pela segurança de sua família, o que levou a parte acusadora a enviar uma intimação oficial para que prestasse depoimento.

White e Farrow, que estiveram presentes no jantar organizado por Mandela, testemunharão na segunda-feira.

Suspeita-se que o ex-presidente liberiano dirigiu os rebeldes da Frente Revolucionária Unida (RUF) em Serra Leoa, abastecendo-os com armas e munições em troca de diamantes, durante a guerra civil nesse país, de 1991 a 2001.

Taylor, de 62 anos, é acusado de 11 crimes de guerra e crimes contra a humanidade cometidos durante a guerra civil no país africano.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,71
    3,127
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,37
    64.938,02
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host