UOL Notícias Notícias
 
10/08/2010 - 17h44

Naomi Campbell diz não ter "nada a ganhar" mentindo no julgamento de Taylor

londres, 10 Ago 2010 (AFP) -A modelo britânica Naomi Campbell disse esta terça-feira, por meio de um comunicado, que não tem "nada a ganhar" mentindo no julgamento do ex-presidente liberiano Charles Taylor, no qual depôs na quinta-feira, depois que seu ex-agente e a atriz Mia Farrow contradisseram sua versão, na véspera.

"Não tenho nenhuma motivação sobre o assunto. Nada a ganhar. Sou uma mulher negra que apoiou e apoiará sempre as boas causas, em particular às que dizem respeito à África", afirmou a 'top model' no comunicado publicado na noite de terça-feira pela sociedade de relações públicas Outside Organisation, em Londres.

No comunicado, Naomi destacou que os eventos aconteceram há 13 anos e que "não é surpreendente que as lembranças de algumas pessoas sobre o que aconteceu sejam vagos".

"Agora, está claro que as versões dos acontecimentos de Naomi e de Mia são muito similares", acrescentou.

"Sejam quais forem as lembranças das pessoas, é inegável, e isto foi confirmado por todas as testemunhas envolvidas, que Naomi entregou os diamantes na primeira oportunidade que teve para a organização de caridade sul-africana", destacou.

A atriz Mia Farrow e a ex-agente de Naomi Campbell, Carole White, contradisseram a supermodelo, na segunda-feira, perante o Tribunal Especial para Serra Leoa (TESL), sustentando que ela mesma lhes disse ter recebido diamantes do então presidente liberiano Charles Taylor, em julgamento em Haia por crimes de guerra e contra a humanidade.

Na quinta-feira, a 'top model' britânica havia afirmado ignorar quem a presenteou com duas ou três "pedras pequenas que pareciam sujas", recebidas em plena noite, depois do jantar beneficente organizado por Mandela.

A modelo, de 40 anos, também disse ter dado as pedras a Jeremy Ratcliffe, que trabalhava para o Fundo de Ajuda à Infância de Nelson Mandela.

Segundo a promotoria, Taylor foi à África do Sul em setembro de 2007 para "vender ou trocar diamantes por armas" destinadas aos rebeldes da Frente Revolucionária Unida de Serra Leoa (FRU) e o diamante seria fruto desta troca.

Suspeita-se que o ex-presidente liberiano tenha abastecido com armas e munições os rebeldes da FRU em troca dos diamantes, durante a guerra civil em Serra Leoa, que de 1991 a 2001 deixou 120.000 mortos e milhares de mutilados.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,68
    3,173
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,44
    64.861,92
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host