UOL Notícias Notícias
 
11/08/2010 - 20h19

Guantánamo: ex-motorista de Bin Laden condenado a 14 anos de prisão

BASE NAVAL DE GUANTANAMO, EUA, 11 Ago 2010 (AFP) -O ex-motorista de Osama Bin Laden, o sudanês Ibrahim Al Qosi, foi condenado nesta quarta-feira a 14 anos de prisão, na primeira sentença emitida desde que o presidente Barack Obama restabeleceu os tribunais militares de exceção, em Guantánamo.

Os 10 membros do júri deliberaram por cerca de uma hora antes de chegar à sentença contra Al Qosi, 51 anos, um antigo motorista de Bin Laden e que já leva mais de oito anos e meio de prisão na base naval americana em Cuba.

A condenação, cujos detalhes não foram divulgados, deve ser aprovada agora por um alto funcionário do Pentágono.

O acusado, originário do Sudão, declarou-se culpado em julho de apoio material ao terrorismo, uma acusação para a qual a promotoria e a defesa tinham concordado com uma sentença de 12 a 15 anos.

Mas Al Qosi também conseguiu um acordo com os promotores sobre a porcentagem da sentença que deverá cumprir de forma efetiva. No entanto, os detalhes desse acordo, fechado em julho entre o governo americano e o preso, jamais foram divulgados.

Ibrahim Al Qosi declarou ter trabalhado entre 1996 e 2001 como motorista, cozinheiro e assistente de Bin Laden, chefe da rede fundamentalista Al-Qaeda, que assumiu os ataques de 11 de setembro de 2001 contra Washington e Nova York.

Os tribunais de exceção foram criados durante o governo George W. Bush para os prisioneiros da "guerra contra o terrorismo", lançada no Afeganistão, em busca de Osama bin Laden, a quem o então regime talibã afegão dava refúgio, segundo os Estados Unidos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,22
    3,148
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h22

    0,64
    65.099,56
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host