UOL Notícias Notícias
 
12/08/2010 - 15h27

Venezuela: descoberta de alimentos importados podres esquenta clima eleitoral

CARACAS, Venezuela, 12 Ago 2010 (AFP) -A descoberta de milhares de toneladas de alimentos em decomposição, que foram importados pelo governo, deixou em polvorosa a Venezuela, onde a oposição exige uma "investigação séria" e a situação denuncia uma "campanha de manipulação" ante as próximas eleições.

Desde o começo de junho foram encontradas milhares de toneladas de alimentos - arroz, farinha de trigo, massa, entre outros - em estado de decomposição em armazéns estatais, portos e depósitos de todo o país, importadas pela empresa estatal DVAL sem nunca terem sido distribuídas.

Segundo opositores do governo de Hugo Chávez, são mais de 130.000 toneladas de alimentos decompostos, o que representaria perdas de 8 bilhões de dólares para o Estado.

"Jogar comida fora é um pecado, mas deixá-la apodrecer não tem perdão de Deus", comentou à AFP a dirigente Delsa Solórzano, que participa de uma equipe da oposição que investiga o caso à margem do Parlamento, onde a comissão formada não entregou resultados até agora.

O governo reconhece que apenas 30.000 toneladas de alimentos estão em "não-conformidade" nos depósitos da PDVAL, uma rede de compras e distribuição sob a administração da petroleira estatal PDVSA, mas que depois do escândalo foi transferida para o ministério da Alimentação.

"Eles multiplicaram isso por um milhão (...), mas se quiserem conseguir algo podre, eles mesmos são o que este país tem de mais podre", alfinetou recentemente o presidente venezuelano, Hugo Chávez, ao criticar a reação da oposição.

"O que pretendem é gerar nestes meses a maior quantidade de problemas, a guerra midiática, o terrorismo midiático, manipulando cifras e exagerando nossos erros", comentou Chávez.

O presidente da PDVSA e ministro do Petróleo, Rafael Ramírez, insistiu em que as denúncias são "uma manipulação política ante as eleições" legislativas de 26 de setembro, que serão cruciais para o governo, que quer manter pelo menos dois terços da maioria no Congresso unicameral.

Na Venezuela, cuja economia está em recessão com infação de 18% em julho, muitos produtos da cesta básica ficam escassos por temporadas.

O governo Chávez criou a PDVAL no começo de 2008 para importar e distribuir alimentos a preços subsidiados, justo em um momento em que a Venezuela enfrentava a escassez de alguns produtos.

"Já detectamos as falhas e os mecanismos de controle foram melhorados. Aumentou-se a distribuição de alimentos para ajudar a que a PDVAL possa ter uma rápida rotação de produtos armazenados", explicou o vice-presidente Elías Jaua.

A promotoria abriu uma investigação sobre o caso e já estão detidos o ex-presidente da rede, Luis Pulido, e outros dois de seus altos diretores.

Mas a oposição considera haver uma "rede de responsáveis" que transcende estes três envolvidos e aponta Ramírez por envolvimento em atos de corrupção relacionados com as importações da PDVAL.

O líder oposicionista Ramón Muchacho entregou à AFP cópia de um informe que, segundo ele, é de uma auditoria na PDVSA onde se estabelece que a petroleira "comprou e pagou" por 1,05 milhão de toneladas de alimentos entre outubro de 2007 e junho de 2008, do qual só foram recebidas 266.516 toneladas.

"O pior é que do que chegou só se distribuiu a metade. A outra metade ficou armazenada e apodreceu", disse Muchacho, exigindo uma "investigação séria" sobre o tema.

Alguns analistas preveem que este escândalo terá um efeito negativo sobre a popularidade de Chávez e os resultados eleitorais dos candidatos do situacionista partido Socialista Unido da Venezuela.

"Chávez só teve problemas este ano. O tema da escassez de alimentos, que culmina com a descoberta desta comida apodrecida, demonstra incapacidade, corrupção e isto o povo vê, comenta", disse à AFP o pesquisador Alfredo Keller.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h19

    -0,15
    3,131
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h25

    0,47
    76.329,91
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host