UOL Notícias Notícias
 
17/08/2010 - 16h47

EUA: dirigente do Fed confessa uma certa impotência ante o desemprego

WASHINGTON, 17 Ago 2010 (AFP) -Um dos dirigentes do banco central americano (Fed), Narayana Kocherlakota, confessou nesta terça-feira uma certa impotência ante a persistência do desemprego, prevenindo que a instituição não poderia dar emprego a todos.

"É difícil conceber o que o Fed pode fazer mais para resolver este problema", disse num discurso o presidente do Fed de Minneapolis (Minnesota, norte).

"A retomada monetária trouxe condições para as fábricas contratarem novos operários. Mas o Fed não tem os meios de transformar os BTP (disponíveis no mercado de trabalho) em operários da indústria", lamentou Kocherlakota a dirigentes de empresas em Marquette (Michigan, norte), segundo o texto de seu pronunciamento transmitido à imprensa em Washington.

Explicou que embora preveja uma aceleração do crescimento até o final de 2010 e em 2011, "a falta de vitalidade do mercado de trabalho nos Estados Unidos não pode ser classificado, senão, de preocupante".

"As empresas têm empregos, mas não conseguem encontrar trabalhadores qualificados. Estes querem trabalhar, mas não encontram empregos que lhes convenham", lamenta Kocherlakota.

"Tendo em vista os problemas estruturais do mercado de trabalho, não prevejo uma redução rápida do desemprego. Minha própria previsão é de que a taxa ficará acima de 8% em 2012", contra 9,5% hoje, precisou.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h10

    -0,53
    3,266
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h17

    0,62
    63.615,84
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host