UOL Notícias Notícias
 
17/08/2010 - 18h26

Quase um milhão de crianças diagnosticadas por engano com déficit de atenção nos EUA

WASHINGTON, 17 Ago 2010 (AFP) -Cerca de um milhão de crianças americanas da pré-escola foram diagnosticadas por engano com déficit de atenção por hiperatividade (TDAH, na sigla em inglês), prescrevendo-lhes medicamentos quando com frequência eram apenas crianças distraídas, segundo um estudo publicado na segunda-feira.

O autor do estudo diz que as prescrições injustificadas representam gastos de 320 a 500 milhões de dólares por ano.

A ritalina (Methylphenidate) é o medicamento prescrito com maior frequência para controlar estes distúrbios. Trata-se de um psicoestimulante, cujos efeitos de longo prazo não são totalmente conhecidos ainda, afirma Todd Elder, autor do estudo e professor de economia da Universidade de Michigan.

As crianças menores da pré-escola "têm muito mais probabilidades de que se prescrevam estimulantes de comportamento como a ritalina", explicou Elder, que examinou uma população de 12 mil crianças.

Observando a diferença de frequência de diagnósticos e prescrições médicas entre os menores e os maiores dentro de uma pré-escola, o especialista descobriu que os menores tinham 60% mais chances de ter diagnosticado o TDAH.

"Se uma criança não se comporta bem, senão está atenta, se não consegue ficar calma, pode ser simplesmente porque tem cinco anos e as outras, seis", disse o professor.

Quatro milhões e meio de crianças e jovens com menos de 18 anos são diagnosticados com TDAH nos Estados Unidos. Cerca de 20% deles, isto é, 900.000, podem ter sido diagnosticados por engano, destacou o estudo que será publicado no próximo número do Journal of Health Economics.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h20

    -0,20
    3,260
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h24

    0,70
    63.102,68
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host