UOL Notícias Notícias
 
19/08/2010 - 11h17

Paquistão tem 4,6 milhões de desabrigados por inundações

ISLAMABAD, 19 Ago 2010 (AFP) -O Paquistão tem 4,6 milhões de pessoas desabrigadas em consequência das inundações que afetam grande parte do país há um mês, afirmou nesta quinta-feira à AFP o porta-voz da Agência de Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) da ONU, Maurizio Giuliano.

"Aproximadamente 4,6 milhões de pessoas ainda estão sem casa", disse Giuliano.

Na avaliação anterior, a OCHA havia calculado o número de desabrigados em dois milhões, de um total de 15 a 20 milhões de afetados.

A ONU pediu na semana passada 460 milhões de dólares de ajuda para evitar que a falta de alimentos e as doenças provoquem uma "segunda onda de mortes", e na quarta-feira revelou ter recebido 50% da quantia, incluindo promessas que ainda devem se transformar em dinheiro efetivo.

Um grupo de eminentes líderes mundiais, "The Elders" (Os anciões), presidido pelo arcebispo sul-africano Desmond Tutu, pediu nesta quinta aos governos e cidadãos do mundo que ajude rápida e generosamente os milhões de desabrigados no Paquistão.

O grupo fundado pelo ex-presidente sul-africano Nelson Mandela e que inclui ex-estadistas como o americano Jimmy Carter e o brasileiro Fernando Henrique Cardoso, assinala que até o momento só foi recebida a metade dos 460 milhões de dólares de ajuda urgente pedida pela ONU.

"Devemos responder ao sofrimento (do Paquistão) com a mesma generosidade com que respondemos ao tsunami de 2004 e ao terremoto no Haiti. Este é um desastre de uma escala comparável e, podemos dizer, aina pior", afirmou Tutú.

O ex-secretário-geral da ONU, Kofi Annan, outro membro do grupo, denunciou que, além de ser insuficiente, a ajuda não está chegando suficientemente rápido para quem precisa dela.

Na véspera, o Paquistão anunciou já ter recebido 300 milhões de dólares de ajuda internacional para as milhões de vítimas das inundações, mas muitas pessoas continuavam sem teto ou comida, aumentando as críticas contra a ineficácia do governo.

As enchentes varreram aldeias, terras cultiváveis e a infraestrutura, convertendo-se na pior catástrofe da história do país.

Mais de 650.000 famílias vivem sem um alojamento mínimo, segundo o escritório de coordenação de assuntos humanitários das Nações Unidas (Ocha).

Nesta quinta, o Banco Asiático de Desenvolvimento (BAD) anunciou que desbloqueará 2 bilhões de dólares ao Paquistão para ajudá-lo nas tarefas de reconstrução depois das inundações, que atingiram milhões de pessoas.

O dinheiro servirá para a reconstrução de estradas, pontes, redes elétricas, casas, escolas, centros médicos e infraestruturas agrícolas destruídas pelas inundações.

O BAD não diz se os fundos serão atribuídos em forma de ajuda ou de empréstimo a juros preferenciais. Um porta-voz da instituicção informou que os detalhes ainda estão sendo decididos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host