UOL Notícias Notícias
 
21/08/2010 - 15h37

Paquistão reúne US$ 500 milhões, mas ajuda ainda é insuficiente

ISLAMABAD, Paquistão, 21 Ago 2010 (AFP) -A comunidade internacional já doou ao Paquistão, país devasstado pelas inundações, quase 500 milhões de dólares de ajuda de emergência, mas esta cifra é ainda modesta dadas as necessidades dos milhões de desabrigados e os futuros custos de reconstrução.

As inundações provocadas há um mês pelas chuvas de monção devastaram um quinto do território do país e deixaram 20 milhões de desabrigados e 1.500 pessoas mortas, segundo o governo.

Mas este balanço deve ser bem mais elevado uma vez for conhecida a magnitude dos danos, advertiram as Nações Unidas.

A comunidade internacional doou cerca de 500 milhões de dólares em ajuda de emergência, anunciou a ONU na véspera. Um pouco mais da metade desta soma, principalmente reunida pelos Estados Unidos, foi doada em resposta ao pedido da ONU em 11 de agosto passado, que falou da necessidade de 460 milhões de dólares para fundos de emergência.

O resto da soma foi obtido graças à ajuda bilateral de países doadores, especialmente a Arábia Saudita, com mais de 100 milhões, e ONGs ou instituições ou companhias privadas.

Neste sábado, o Fundo Monetário Internacional (FMI) se disse disposto a ajudar o Paquistão, segundo um comunicado da organização recebido em Paris.

"O FMI está com o Paquistão nestes tempos difíceis e dará sua contribuição para ajudar o país", acrescentou a organização.

O presidente do FMI, o francês Dominique Strauss-Kahn, enviou carta neste sentido ao presidente paquistanês, Asif Ali Zardari.

Neste contexto, o FMI está organizando uma reunião em Washington para a próxima semana com representantes do governo paquistanês para "avaliar o impacto macroeconômico das inundações e as medidas que são tomadas para fazer frente, e para discutir sobre os meios com que o FMI pode ajudar o Paquistão nestes tempos difíceis".

Segundo o Fundo, "a magnitude da tragédia" tem como consequência que o orçamento do país, assim como suas perspectivas macroeconômicas - apoiadas por um programa financiado pelo FMI - devam também "ser reevaliadas", segundo Masood Ahmed, responsável da organização para a região do Oriente Médio e pela Ásia Central.

O Paquistão recebeu, em novembro de 2008, um empréstimo a 23 meses do FMI, destinado a lutar contra os efeitos da crise econômica mundial.

O Paquistão já recebeu 95% deste empréstimo, ou seja, 7,27 bilhões de dólares.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host