UOL Notícias Notícias
 
24/08/2010 - 17h17

EUA: juiz abre caminho para execução de negro acusado de matar policial

WASHINGTON, 24 Ago 2010 (AFP) -Um juiz federal de Savannah (Geórgia, sudeste dos Estados Unidos) concluiu nesta terça-feira que o americano condenado à morte Troy Davis "não conseguiu provar sua inocência" e rejeitou o recurso apresentado contra sua execução, decisão que será apelada pela família do réu.

"Executar um inocente seria uma violação à Constituição, (mas) Davis não conseguiu provar sua inocência, seu recurso foi rejeitado", escreveu o juiz William Moore na introdução de uma decisão de mais de 60 páginas.

Os defensores de Davis apelarão da decisão do juiz. "Não sairemos da batalha, temos que entrar com uma apelação", disse à AFP Martina Correia, irmã de Davis.

"Estou decepcionada. Nunca pensei que teríamos uma decisão justa por parte de um juiz do mesmo distrito no qual Troy foi condenado", completou Correia, depois de informar que a família do condenado tinha pedido que o assunto fosse "transferido" a outro distrito.

"Era o que queríamos, mas não tivemos essa opção", completou.

"Eles nos conhecem, os juízes conhecem o promotor e vice-versa. Jogam golfe juntos", disse.

A Anistia Internacional expressou em um comunicado sua preocupação porque "essa decisão coloca Troy Davis no caminho da execução, apesar das dúvidas sobre sua culpabilidade".

Troy Davis, negro, 41 anos, foi condenado à morte em 1991 pelo assassinato de um policial branco, um fato que sempre foi negado por ele. Desde então, sete das nove testemunhas que tinham declarado contra ele durante o processo desmentiram seus depoimentos. Vários deles tinham sido ouvidos no fim de junho pelo juiz Moore, durante uma audiência excepcional ordenada pela Suprema Corte dos Estados Unidos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h39

    0,34
    3,290
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h43

    -0,58
    62.892,01
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host