UOL Notícias Notícias
 
13/09/2010 - 11h56

Dois religiosos iranianos recomendam matar quem queimar o Alcorão

TEERÃ, 13 Set 2010 (AFP) -Dois importantes religiosos iranianos recomendaram nesta segunda-feira a morte das pessoas que queimarem o Alcorão, segundo informou a agência de notícias Fars.

"Do ponto de vista da jurisprudência, é obrigatório e necessário opor-se a tais pensamentos e é obrigatório matar as pessoas que tenham cometido este ato", declarou o aiatolá Hossein Nuri Hamedani.

Na mesma linha de raciocínio, o aiatolá Nasser Makarem Chirazi recomendou a mesma atitude, desde que depois de consultado um "juiz religioso".

"Certamente se pode derramar a sangue da pessoa que queima um exemplar do Alcorão. Mas, sobre esta questão, nenhuma ação pode ser tomada sem a permissão de um juiz religioso", afirmou o aiatolá Chirazi.

Vários representantes iranianos, incluindo o presidente Mahmud Ahmadinejad, classificaram de "complô sionista" a iniciativa de uma igreja americana de querer queimar exemplares do Alcorão por ocasião do nono aniversário dos atentados de 11 de setembro.

O pastor desistiu da ideia, mas um grupo de cristão arrrancou as páginas de alguns exemplares do Alcorão diante a Casa Branca no sábado.

Cerca de 500 pessoas se manifestaram nesta segunda-feira contra os Estados Unidos diante a embaixada da Suíça no norte de Teerã para protestar contra a ordem de queimar o Alcorão.

A embaixada suíça representa os interesses americanos no Irã desde a ruptura das relações diplomáticas entre Washington e Teerã depois da revolução islâmica em 1979.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,40
    3,279
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    0,95
    63.257,36
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host