UOL Notícias Notícias
 
15/09/2010 - 16h04

Violência no Iraque mata pelo menos 18 civis

FALLUJAH, Iraque, 15 Set 2010 (AFP) -Pelo menos 18 civis morreram, esta quarta-feira, em atos de violência no Iraque, entre eles sete civis em uma operação militar iraquiano-americana contra um dirigente da Al-Qaeda em Fallujah, causando indignação neste município situado a oeste de Bagdá.

Duas semanas depois do fim da missão de combate americano no Iraque, nove militares iraquianos que saíam de licença morreram e outros seis ficaram feridos por uma bomba que explodiu na passagem de um microônibus do Exército no norte do Iraque, segundo uma autoridade policial.

No antigo reduto sunita de Fallujah, uma operação militar iraquiano-americana contra um líder da Al-Qaeda terminou com a morte de sete civis e de dois militares iraquianos, segundo balanço da polícia provincial.

Fallujah qualificou esta "operação brutal" de "provocação" contra a população e as forças a cargo da segurança da cidade.

"Pedimos uma investigação sobre este crime e pedimos às pessoas responsáveis por esta força e o governo que se desculpem com as famílias das vítimas", segundo um comunicado lido para jornalistas por Ahmed Dulaimi, membro do conselho municipal.

Uma força mista procedente de Bagdá deu início à operação ao amanhecer, no bairro central de Khubail, contou o general Baha Husein al Karki, chefe da polícia da província de Al Anbar, da qual depende Fallujah.

"Explodiram enfrentamentos quando os terroristas abriram fogo contra esta força. Sete civis morreram no tiroteio e quatro ficaram feridos", acrescentou. "Dois militares iraquianos também morreram", emendou.

O general Faisal al Isawi, diretor da polícia de Fallujah, mencionou oito civis mortos e disse que as forças americanas levaram os cadáveres de quatro homens.

Um hospital de Fallujah anunciou ter recebido os corpos de quatro civis. Já um porta-voz do exército americano, o comandante Rob Phillips, falou de seis mortos. Segundo ele, a operação estava sob comando iraquiano e seu objetivo era capturar "um importante responsável da Al-Qaeda no Iraque, acusado de ter cometido importantes atentados em toda a região". Ele não disse se este homem foi detido.

Em Fallujah, que em 2004 foi cenário de duas ofensivas americanas para expulsar combatentes da Al-Qaeda, foi decretado luto de três dias.

Outro porta-voz do exército americano, o comandante Bryan Woods, disse que será aberta uma investigação sobre o ocorrido.

O exército americano concluiu, em 31 de agosto, sua missão de combate no Iraque para se dedicar à formação das forças iraquianas, mas pode entrar em ação caso seja atacado ou se as tropas iraquianas pedirem sua ajuda.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,21
    3,129
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h35

    0,04
    76.004,15
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host