UOL Notícias Notícias
 
07/06/2011 - 16h05

Cinzas do vulcão chileno Puyehue paralisam voos na América do Sul

BUENOS AIRES, 7 Jun 2011 (AFP) -Os dois aeroportos de Buenos Aires, os maiores da Argentina, suspenderam voos da manhã desta terça-feira, enquanto Brasil, Uruguai e Chile cancelaram dezenas de saídas diante do avanço da nuvem de cinzas expelida pelo vulcão chileno Puyehue, que entrou em erupção no sábado.

Na capital argentina foram cancelados 62 voos na manhã desta terça-feira. Outros 90% foram cancelados em Montevidéu, 16 em Santiago e 10 no Brasil.

"Um total de 30 voos foram cancelados na manhã desta terça-feira no Aeroparque de Buenos Aires (cabotagem e países fronteiriços) e outros 32 no internacional de Ezeiza (periferia sul) devido à nuvem de cinzas" que avança na região, disse à AFP uma fonte de Aeroportos Argentinos 2000, empresa a cargo dos dois aeroportos.

O vice-presidente da Sociedade Argentina de Aviação, José María Vaca, explicou que "estamos agindo como prevenção, os voos são suspensos porque as cinzas podem afetar as máquinas".

"A nuvem de cinzas se desloca, dentro das previsões, a uma altitude próxima dos 12.000 metros, na direção sudoeste-noroeste", disse esta terça-feira, em comunicado, a secretaria de Transporte argentina.

Em seu deslocamento de mais de 1.500 km, a nuvem vulcânica entrou nesta terça-feira no sul da província de Buenos Aires, em direção à capital argentina, onde poderá ser vista, embora de forma "muito leve", segundo informações do Serviço Meteorológico argentino (SMN).

No Brasil, foram cancelados dez voos que deviam partir de São Paulo rumo a Argentina e Chile, enquanto no Rio de Janeiro a mesma medida foi adotada para três voos procedentes de Buenos Aires e um da cidade de Córdoba (centro).

O Chile suspendeu, nesta terça-feira, todos os voos com destino a Buenos Aires e Montevidéu.

Na capital uruguaia, "mais de 90% dos serviços de aviação foram cancelados" e no Aeroporto de Carrasco havia "uma inoperância total, pela possibilidade de que as cinzas vulcânicas pudessem afetar os voos", disse à imprensa Nelson Rosano, gerente de operações aeroportuárias.

Cinco aeroportos da Patagônia argentina (sul) foram fechados, inclusive o da turística Bariloche, até 21 de junho, e o da populosa cidade de Baía Branca, 650 km ao sur.

Bariloche (1.600 km a sudoeste), maior destino turístico de estrangeiros da Argentina e situada 100 km em linha reta do vulcão, ficou sem energia elétrica esta terça-feira e o serviço de água estava afetado depois que suas ruas ficaram bloqueadas de cinzas no fim de semana, constatou um jornalista da AFP.

Quatro mil pessoas foram evacuadas de povoados chilenos, situados próximos do vulcão, perto da fronteira andina com a Argentina, no sul dos dois territórios.

A atividade no vulcão Puyehue tendia a uma leve diminuição esta terça-feira, mas intensas chuvas nas últimas horas na região despertavam o temor, segundo as autoridades, a ocorrência de avalanches que arrastem o material liberado pelo maciço de 2.240 metros de altitude, que entrou em erupção pela última vez em 1960.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,16
    3,847
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,60
    100.688,63
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host