EUA pede investigação 'rápida' e sem obstáculos' sobre queda de avião

WASHINGTON, 18 Jul 2014 (AFP) - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pediu nesta quinta-feira uma investigação "rápida" e "sem obstáculos" sobre a queda do avião da Malaysia Airlines no leste da Ucrânia, que matou as 298 pessoas a bordo.

Em um telefonema ao primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, o líder americano disse que "os Estados Unidos estão dispostos a contribuir com assistência imediata para que haja uma investigação internacional rápida, completa, crível e sem obstáculos", informou a Casa Branca.

O voo MH17 entre Amsterdã e Kuala Lumpur transportava 154 holandeses, 27 australianos, 23 malaios, 11 indonésios, 6 britânicos, 4 alemães, 4 belgas, 3 filipinos e um canadense. Outros 50 passageiros não tiveram sua identidade confirmada.

O Boeing 777 da Malaysian Airlines caiu às 14h15 GMT (11h45 de Brasília), cerca de quatro horas depois da decolagem e a 50 quilômetros da fronteira entre a Rússia e a Ucrânia, em uma área controlada pelos rebeldes separatistas.

Um oficial dos Estados Unidos, que pediu para não ser identificado, disse que um míssil terra-ar derrubou o avião, mas não pôde precisar se o disparo partiu dos separatistas pró-Moscou na Ucrânia, de tropas russas na fronteira ou de forças do governo ucraniano.

Receba notícias pelo Facebook Messenger

Quer receber as principais notícias do dia de graça pelo Facebook Messenger? Clique aqui e siga as instruções.

UOL Cursos Online

Todos os cursos