PUBLICIDADE
Topo

Onda de frio polar afeta Canadá e norte dos EUA

23/01/2013 18h23

MONTREAL, 23 Jan 2013 (AFP) - Uma onda de frio polar afetava esta quarta-feira o Canadá e o norte dos Estados Unidos, com temperaturas de até -38° Celsius em Ottawa e Montreal, e inclusive de -40°C em Quebec, enquanto uma frente fria chegava ao norte do estado de Virgínia (leste dos Estados Unidos).

"Trata-se de uma forte depressão que se posicionou sobre o sul do Canadá na semana passada, que atraiu uma massa de ar frio para as regiões do norte", disse à AFP André Cantin, meteorologista do ministério do Meio Ambiente do Canadá.

Esta frente extremamente fria foi sentida "até no norte da Virgínia, onde as temperaturas oscilam entre 0ºC e 2ºC, o que parece relativamente brando para os canadenses, mas faz tremer de frio os moradores deste estado do sul dos Estados Unidos", disse.

Segundo o especialista, espera-se que se continuem registrando baixas temperaturas no Canadá até o fim de semana, com certa melhora na segunda-feira, acrescentou.

Vários alertas foram emitidos tanto no Canadá quanto em vários estados americanos. A empresa de eletricidade de Quebec pediu a seus clientes que reduzam seu consumo nos horários de pico, o que já bateu todos os recordes históricos.

Ao contrário do que costuma acontecer no leste europeu, na Rússia e na Polônia, as baixas temperaturas não deixaram muitas vítimas. Um sem-teto foi encontrado morto na manhã de terça-feira com sintomas de hipotermina na região de Toronto, mas a causa exata não foi determinada.

Na manhã de quarta-feira o Canadá era o país mais frio do mundo, com -43,1ºC registrados em Little Chicago, nos Territórios do Noroeste, e -40,3ºC em Rouyn-Noranda em Quebec, ambos mais frios do que em Yakutsk, na Sibéria (-38,8ºC).

Nova York e Washington também sofrem com o frio Assim como em Montreal, em Nova York foram abertos muitos abrigos para que qualquer pedestre possa entrar durante o dia.

No estado vizinho de Connecticut (nordeste), o governador Dannel Malloy pediu medidas similares, indicando em sua página no Facebook que o vento fará com que a sensação térmica à noite varie entre -17ºC e -26ºC.

O frio pode ser mais rigoroso para os moradores de Nova York, que teve muitas de suas infraestruturas, inclusive o abastecimento de energia, danificadas pela supertempestade Sandy.

"Faz frio, é como estar ao ar livre quando o gerador está parado: não há eletricidade, nem luz, nem calor", disse à rádio WCBS 880 Sandra Green, vizinha da região de Rockaways, muito afetada pela onda de frio.

"Se continuar sem calefação, vou atear fogo na casa e vou ficar do lado para me manter quente", disse outro morador da região, batendo os dentes.

Washington ainda estava longe do recorde histórico de - 26ºC, registrado em 11 de fevereiro de 1899, quando uma onda de frio vinda do Maine (nordeste) até a Flórida (sudeste) precedeu a Grande Nevasca de 1899.

No entanto, o clima estava suficientemente frio para causar calafrios nos moradores da capital americana, um milhão dos quais desafiaram as temperaturas geladas dois dias antes para assistir às cerimônias pelo segundo mandato do presidente Barack Obama.