Topo

Justiça francesa condena 55 ativistas do Greenpeace

Carros passam inundação em uma estrada de Nagoya, na província de Aichi, no Japão, nesta quarta-feira (4) - Jiji Press/AFP
Carros passam inundação em uma estrada de Nagoya, na província de Aichi, no Japão, nesta quarta-feira (4) Imagem: Jiji Press/AFP

Em Tóquio

04/09/2013 06h46

ESTRASBURGO, França, 04 Set 2014 (AFP) - A justiça francesa condenou nesta quinta-feira a uma pena de dois meses de prisão com sursis 55 ativistas do grupo Greenpeace, de 20 países diferentes e que invadiram em março passado a usina nuclear mais antiga do país para denunciar problemas de segurança.

Um dos franceses acusados, Eddy Varin, defendeu a legitimidade da invasão de 18 de março na usina de Fessenheim, leste da França.

"Existem leis que não deveriam existir, como a que proíbe entrar em uma central nuclear para alertar aos cidadãos. É um dever o que eu faço. É legítimo, mesmo sendo ilegal", afirmou.

A usina de Fessenheim, em serviço desde 1977, é a mais antiga das centrais nucleares francesas, e se encontra perto da fronteira com a Alemanha.

Mais Notícias