PUBLICIDADE
Topo

Pelo menos 1.750 imigrantes morreram no Mediterrâneo em 2015, diz organização

Em Genebra

21/04/2015 08h27

Mais de 1.750 imigrantes perderam a vida no Mediterrâneo no correr do ano, um número 30 vezes maior que no mesmo período de 2014, assinalou em Genebra a Organização Internacional para as Migrações (OIM).

"Com a mais recente contagem, a OIM calcula que o número de mortos desde o início de 2015 é atualmente 30 vezes superior ao de 2014 nesse mesmo período, quando foram assinalados 56 mortes de imigrantes no Mediterrâneo", declarou o porta-voz da OIM, Joel Millman, em Genebra.

"A OIM teme que o total de 3.279 mortes de imigrantes em 2014 seja superado este ano em algumas semanas, e possa alcançar os 30 mil até o final do ano, se nos basearmos no balanço atual", acrescentou.

O porta-voz da Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR), Adrian Edwards, declarou, por sua parte, que o naufrágio do barco no domingo frente ao liberal da Líbia no qual 800 pessoas morreram é "o incidente mais mortífero no Mediterrâneo já registrado".

Segundo Edwards, apenas no mês de abril, foram 1.300 mortos, o que estabelece um trágico recorde de mortes.