Chavismo deixa o Parlamento venezuelano após prestar juramento

Caracas, 5 Jan 2016 (AFP) - A bancada governista no Parlamento venezuelano se retirou da casa após prestar juramento, mas antes de concluir a instalação da legislatura nesta terça-feira, alegando que estava "violando" o regulamento interno e de debates, comprovou a AFP.

Diosdado Cabello, presidente em fim de mandato da Assembleia e número dois do chavismo, disse que o abandono do Parlamento ocorreu porque o novo presidente do legislativo, Henry Ramos Allup, "violou o regulamento" interno e de debates.

Já na parte externa do recinto, Cabello informou à imprensa que, segundo a norma, devia ser celebrada nesta terça-feira um estrito ato de instalação, sem discursos.

Segundo o líder chavista, Ramos Allup deu o direito à palavra e o acesso à tribuna a oradores como o opositor Julio Borges "como prêmio de consolação" porque perdeu para ele a eleição para a presidência da Câmara em uma votação do bloco opositor no domingo passado.

"Eu condeno que os colegas da bancada do Partido Socialista da Venezuela tivessem abandonado o Parlamento em um momento tão importante e tão solene como este", disse Ramos Allup em seu discurso de posse.

"Terão que se acostumar porque nos próximos cinco anos vai haver liberdade de opinião e todos vamos respeitar as opiniões discrepantes e divergentes", acrescentou o parlamentar.

Antes da saída do bloco chavista, Ramos Allup tomou o juramento dos deputados.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos