Maduro afirma que defenderá com 'mão de ferro' estabilidade democrática

Caracas, 6 Jan 2016 (AFP) - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, advertiu nesta terça-feira que defenderá com "mão de ferro" a democracia e a estabilidade do país, ao citar o anúncio da oposição de que buscará tirá-lo do poder com a maioria parlamentar assumida nesta terça-feira.

"Vou estar aqui apoiando a defesa da democracia e a estabilidade com mão de ferro, a mim não vão fazer retroceder ou tremer. Estou muito tranquilo", disse Maduro em entrevista à TV estatal, após denunciar que a oposição tenta tirá-lo do poder por diversos caminhos.

Em suas primeiras declarações após a instalação da nova Assembleia, dominada pela oposição, Maduro disse que será "o povo" que determinará sua permanência no poder.

Segundo o presidente, o "objetivo" da oposição é tirá-lo do poder, algo que "não é novo", pois já foi tentado contra o finado presidente Hugo Chávez (1999-2012).

"Eles têm outra forma. Que convoquem um referendo revogatório e o povo decidirá", disse Maduro, advertindo que "se eles tomarem outros caminhos, também será, com a Constituição na mão, o povo a decidir.

O novo presidente da Assembleia, o opositor Henry Ramos Allup, reafirmou nesta terça-feira a proposta da oposição de promover "no prazo de seis meses" uma "mudança do governo pela via constitucional" e "a emblemática lei de anistia para os presos e exilados políticos".

"A mudança não é uma questão de calendário, não é uma coisa etária ou cronológica, mas uma questão de atitude, de mudança do sistema, de mudar o que está ruim, muito ruim, e ficará pior", disse Ramos Allup na tribuna da Assembleia.

mis-vo/lr

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos