Começa na Turquia julgamento de imã, rival do presidente Erdogan

Istambul, 6 Jan 2016 (AFP) - O processo contra o imã Fetulá Gülen, exilado pelo presidente turco Recep Tayyip Erdogan, começou nesta quarta-feira em um tribunal de Istambul, que o julgará à revelia.

Instalado há mais de 15 anos nos Estados Unidos, Gülen é acusado, junto a dezenas de ex-policiais, de pertencer a uma organização terrorista e de acusar falsamente o governo de corrupção, o que, em dezembro de 2013, abalou a chefia de Estado do presidente islamita ultraconservador.

Em sua acusação, o promotor pediu prisão perpétua para Gülen e penas de 7 a 330 anos para os outros 66 acusados.

Promotor de um islã moderado, o imã Gülen, de 74 anos, dirige uma vasta rede de escolas, ONGs e empresas de comunicação na Turquia, nas quais por muito tempo Erdogan se apoiou para firmar sua autoridade.

Mas o presidente declarou guerra pública ao religioso em 2013, convencido de Gülen estava por trás das investigações anticorrupção contra ele, seus ministros e membros de sua família, o que o religioso nega.

Desde então, realizou represálias sem precedentes contra partidários do imã e seus interesses financeiros, que resultaram em 1.800 prisões, segundo fontes ligadas ao governo.

dg-pa/ia/aoc/app/cn

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos