Quênia: cólera mata 10 pessoas no maior campo de refugiados do mundo

Nairóbi, 9 Jan 2016 (AFP) - Ao menos 10 somalis morreram vítimas de cólera e ao menos outros 1.000 contraíram a doença no campo de refugiados de Dadaab (norte do Quênia), o maior do mundo, anunciou neste sábado a ONU.

A epidemia de cólera foi declarada em novembro neste campo que abriga cerca de 350.000 pessoas, em sua grande maioria somalis, informou Osmal Yusuf Ahmed, do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

A epidemia se propagou rapidamente devido às abundantes chuvas das últimas semanas, explicou a fonte.

O cólera, uma doença extremamente contagiosa, é transmitido através da água contaminada pelos excrementos humanos.

Após um curto período de incubação de dois a cinco dias, o cólera provoca uma forte diarreia e uma desidratação do corpo que pode ser mortal se não for tratada a tempo.

Os refugiados chegaram a Dadaab a partir de várias ondas sucessivas devido à guerra civil e a fome na Somália.

bur-pjm/psr/cyj/ros.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos