Republicanos têm último debate antes das primárias

Washington, 14 Jan 2016 (AFP) - Os pré-candidatos republicanos participam nesta quinta-feira no último debate antes do início das primárias para a indicação presidencial nos Estados Unidos, um evento que acontece pouco depois das duras críticas de uma estrela em ascensão do partido ao favorito Donald Trump.

Sete aspirantes estarão no palco do debate na Carolina do Sul, seis deles em uma tentativa de derrubar o magnata do setor imobiliário de seu pedestal e centrar a campanha eleitoral em temas mais concretos que a retórica de Trump.

A jovem e carismática governadora da Carolina do Sul, Nikki Haley, considerada uma potencial candidata à vice-presidência, preparou o caminho para os rivais de Trump ao criticar o discurso do milionário.

"Durante épocas de nervosismo, pode ser tentador seguir o canto da sereia das vozes mais raivosas. Devemos resistir a esta tentação", disse Halley ao apresentar a resposta republicana oficial ao discurso de terça-feira do presidente Barack Obama sobre o Estado da União.

"Algumas pessoas pensam que devem ter a voz mais estridente no salão para marcar a diferença. Isto simplesmente não é verdade", completou.

As declarações provocaram reação na agitada guerra interna do Partido Republicano, entre o populismo do 'outsider' Trump e seus rivais do 'establishment' conservador.

Ao escolher para a resposta a governadora Haley, filha de imigrantes da Índia, os líderes republicanos - que supostamente revisaram o discurso previamente - enviaram um sinal de que já tiveram o suficiente do discurso 'tóxico e etno-nacionalista' de Trump.

Mas Trump, que já demonstrou várias vezes destreza na campanha, evitou as críticas e transformou a repreensão de Haley em algo positivo.

"No que me diz respeito, raiva é boa. A raiva é energia, é p qie este país necessita", disse Trump ao canal CNN ao comentar as declarações de Haley.

"Eu gosto dela, é uma mulher muito agradável, mas tem sido muito frágil no tema da imigração ilegal", afirmou.

O debate principal começará às 21h00 locais (0H00 de Brasília), três horas depois do evento com os três pré-candidatos com menos pontos nas pesquisas.

Os demais participantes tentam permanecer na disputa ou afastar Trump da mesma.

O magnata estará no palco al lado do senador conservador Ted Cruz, seu principal rival, do carismático senador Marco Rubio, do neurocirurgião aposentado Ben Carson, do governador de Nova Jersey, Chris Christie, do ex-governador da Flórida Jeb Bush e do governador de Ohio, John Kasich.

Os líderes do partido admitiram que estão preocupados com o possível impacto de Trump nas eleições de novembro, não tanto pela disputa presidencial, e sim pelas legislativas.

Eles acreditam que Trump será incapaz de unir os conservadores e os moderados para ajudar os republicanos a manter o controle na Câmara de Representantes e no Senado.

A primeira votação das primárias acontecerá no dia 1º de fevereiro em Iowa (centro-norte).

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos