Papa condena a violência, 'em contradição com as três religiões monoteístas'

Em Roma

O papa Francisco pediu neste domingo durante sua primeira visita à sinagoga de Roma que judeus e católicos "se comprometam a reforçar a paz e a justiça" e condenou a violência, "em contradição com as três grandes religiões monoteístas".

"Conflitos, guerras, violência e injustiças abrem feridas profundas na humanidade e nos chamam a reforçar o compromisso pela paz e pela justiça. A violência do homem contra o homem é uma contradição para toda religião, em particular para as três grandes religiões monoteístas", advertiu o Papa argentino.

Diante de cerca de 1.500 convidados, incluindo líderes e representantes da comunidade judaica italiana, Francisco mencionou suas visitas à sinagoga em Buenos Aires e "laços espirituais" que foram desenvolvidos ao longo do último meio século com os "irmãos mais velhos" - termo empregado pelo Papa João Paulo II.

Francisco também lembrou "as seis milhões de judeus vítimas da mais desumana das barbáries", o holocausto nazista, para cumprimentar alguns dos sobreviventes que participaram da reunião.

"O passado nos deve servir como lição para o presente e para o futuro", ressaltou.

Da sinagoga de Roma, de frente para uma das mais antigas comunidades judaicas do mundo, com 22 séculos de história, o papa repetiu solenemente a promessa feita durante o Concílio Vaticano II em 1965 através da declaração "Nostra Aetate".

"Não a todas as formas de antissemitismo e condenação de qualquer injúria, discriminação ou perseguição que surja", disse. "De inimigos e estranhos, nos tornemos amigos e irmãos", resumiu.

Em seu discurso, o papa condenou várias vezes a violência.

"Nem a violência, nem a morte terão a última palavra perante Deus, que é Deus de amor e da vida. Oremos com insistência para que nos ajude a praticar na Europa, na Terra Santa, no Oriente Médio e na África, em todo lugar do mundo, a lógica da paz, da reconciliação, do perdão", pediu Francisco.

O pontífice chegou para sua primeira visita ao templo judaico em Roma em meio a forte esquema de segurança. Depois, colocou um buquê de flores na frente das duas placas comemorativas que recordam momentos dramáticos vividos pelos judeus da capital italiana.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos