Ano de 2015 foi o mais quente dos tempos modernos

Miami, 20 Jan 2016 (AFP) - Um calor intenso tomou conta do planeta Terra de forma inédita, tornando 2015 o ano mais quente desde que os registros começaram a ser feitos, no fim do século XIX, aumentando a preocupação com o ritmo acelerado do aquecimento global.

O ano de 2015 não foi apenas o mais quente no mundo desde 1880, mas também bateu o recorde anterior, de 2014, pela maior margem já observada, anunciou a Agência Nacional Oceânica e Atmosférica americana (NOAA) nesta quarta-feira.

"No conjunto de 2015, a temperatura média na terra e no mar ficou 0,9°C acima da média do século XX, a mais elevada desde 1880", assinala o relatório da NOAA.

O recorde anterior, estabelecido em 2014, foi superado em 0,16°C. Dezembro de 2015 também foi o mês mais quente já registrado.

"Foi o recorde de calor de todos os anos entre 1880 e 2015", aponta o documento. "Também é a maior margem com que se superaram recordes mundiais anuais."

A Agência Espacial Americana (Nasa), que monitora o clima mundial com uma frota de satélites e estações meteorológicas, confirmou que o ano passado bateu todos os recordes de calor dos tempos modernos.

Segundo a Nasa, as mudanças de temperatura se devem, principalmente, ao aumento do monóxido de carbono e de outras emissões na atmosfera provocadas pelo homem.

"A mudança climática é o desafio da nossa geração", avaliou o administrador da Nasa, Charles Bolden. "O anúncio de hoje não apenas assinala a importância do programa de observação terrestre da agência, mas também é um dado crucial para que os políticos levem em conta. É hora de agir em relação ao clima", alertou.

- Calor global -

O recorde do ano passado foi o quarto quebrado neste século. Mas o calor na terra e no mar já vinha registrando um aumento contínuo ao longo dos anos. "Desde 1997, 16 dos 18 anos seguintes foram ainda mais quentes", aponta o relatório da NOAA.

Em 2015, 10 meses registraram recordes de temperatura em relação aos mesmos meses do ano anterior.

Os recordes de calor foram observados em quase todo o mundo, inclusive na América Central, na metade norte da América do Sul, em partes do norte, sul e leste do continente europeu e no oeste da Ásia, bem como em regiões importantes da Sibéria.

Os termômetros também registraram níveis sem precedentes em grandes áreas do leste e sul da África, no nordeste e na região equatorial do Pacífico, afetada pela corrente quente do El Niño, e no noroeste do Atlântico, bem como no Oceano Índico e em partes do Ártico.

Pesquisadores do grupo Berkeley Earth, que reúne pessoas que desejam alertar para os efeitos das mudanças climáticas, já haviam divulgado conclusões semelhantes.

"Sem dúvida, 2015 foi o ano mais quente já registrado", afirmou o grupo. "Pela primeira vez desde que iniciamos os registros, a temperatura da Terra está claramente 1°C acima da média de 1850-1900."

Os líderes mundiais concordaram no mês passado, na Conferência sobre o Clima de Paris (COP21), a tomar medidas para conter em 2°C o aumento das temperaturas em relação à era pré-industrial, um passo importante para tentar limitar os efeitos do aquecimento global.

Mas nos Estados Unidos, um dos maiores poluidores do planeta, muitos, principalmente congressistas, ainda duvidam da influência do homem nas mudanças climáticas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos